skip to Main Content

O dia que parecia que não tinha fim – dia 12

O Dia Que Parecia Que Não Tinha Fim - Caracol

Acordei às 6:30 e acreditem isso é tarde agora mim. Quando comecei a ler a Bíblia, Catarina logo acordou, mas ficou deitada no meu colo enquanto eu terminava a leitura. Eu nem podia imagina o quão comprido esse dia seria, sabe que pareceu que não tinha fim.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Não que não tivesse coisas para fazer, eu queria arrumar o guarda-roupa dela, que não tinha feito no fim de semana passado, separar as roupas para doar. Mas a manhã pareceu maior, uma dia sem pressa, sem ter que cumprir tabela, sem reuniões. É diferente. Diogo ficou responsável pelo almoço, então até isso não tive que me preocupar. Aproveitei para ler o livro A Última Flecha, e refletir sobre decisões e como elas impactam em nossas vidas. Depois do almoço consegui falar com o vô Zaca, demorou três chamadas para me atender, já avisei que quando formos visitá-lo vamos levar mudar de amorinhas para ele plantar no quintal dele. Mas dessa vez a Catarina pediu morango também! Eita menininha comilona. 

Ele está com 84 anos e meio, como ele mesmo disse, falei que ele tem que se cuidar para que possamos comemorar os 85 anos! Que Deus o guarde com saúde! Ele diz que se sente super bem e sem nenhum problema de saúde. Mas a gente sempre se preocupa, né! Domingo que vem ligarei novamente, é bom conversar com ele, mesmo que seja por pouco tempo!

De tarde fiz uma nova receita: empanadas, dica da Bella Janela. As crianças colocaram a mão na massa e foi bem rapidinho fazer. O Diogo e o Cauê se acabaram de comer, de tão gostoso que ficou. Catarina comeu, mas não curtiu tanto assim, talvez por estar bem quente. Mania que eles tem de querer comer algo logo que sai do forno.

Depois fui arrumar o guarda-roupa da Catarina e testando as roupas nela, descobri que ela só está com três calças que servem para ela. Caramba, como ela cresceu!

Passei roupas e deixei o cesto vazio, YES! Nossa é bem estranho estar com o cesto vazio, quase nunca consigo porque sempre tem roupas na máquina lavando para já estender e secar. Pelo menos um dia ficará sem nada, porque nem no varal tem! 

Ainda assistimos a Rebeca Kids e aprendemos novas palavras em linguagem de libras. A volta para a escola deles será bem diferente, terão aprendido muitas coisas até lá! 

Falando em escola, levamos um baque com a notícia de onde a Catarina estuda. A previsão é para daqui a três meses o retorno, isso porque as escolas serão as últimas a retornarem. O impacto é tanto na educação das crianças quanto na mensalidade escolar. Deus nos ajude a mantermos nossas obrigações em dia! A gente não tem noção do que vai passar ainda! 

O dia que parecia que não tinha fim, teve. Ele me leva de volta para a cama das crianças para fazê-las dormir! Quer dizer, Catarina pacotou sozinha e o Cauê está pedindo para que eu deite com ele! Bora lá!

 

Diário de uma mãe em quarentena
1. O dia que parecia que não tinha fim – dia 12
2. A sociedade que não existirá mais – dia 13
3. Uma tempestade em dia de sol — dia 14
4. Nada como um dia após o outro – dia 15
5. Home school: desafio imposto pelo coronavírus – dia 16
6. O renovo de um abraço – dia 17
7. Como dispensar o tédio na quarentena? – dia 18
8. O motivo que nos fez sair de casa: vitamina D – dia 19
9. As dores do ócio na quarentena – dia 20
10. Uma arca chamada casa – dia 21
11. Esperança por dias melhores e a Páscoa – dia 22
12. Tradição que marcou a história da humanidade – dia 23
13. Profundas reflexões ou pirações de uma mãe em quarentena! – dia 24
14. Páscoa em família durante a quarentena – dia 26
15. Segunda-feira nossa de cada semana – dia 27
16. Quando circunstâncias preocupantes invadem a mente – dia 28
17. A loucura virou rotina com o vírus chinês – dia 29
18. 30 dias em quarentena e um novo normal – dia 30
19. As respostas que ninguém tem – dia 31
20. É possível se sentir livre e leve dentro de casa? – dia 32
21. A privação da liberdade não acabou – dia 33
22. Borbulhas – dia 34
23. Vassoura em busca do sindicato – dia 35
24. Aulas práticas de química na maternidade – dia 36
25. Jejum de palavras negativas – dia 37
26. Coisas simples da vida que fazem a diferença – dia 38
27. O olhar da janela: o que ele comunica para você? — dia 39
28. Quarenta dias de um diário de uma mãe em quarentena – dia 40
29. Paciência: a palavra da quarentena – dia 41
30. A brevidade dos nossos dias – dia 42
31. Dias e dias: os altos e baixos da quarentena – dia 44
32. Senhor avestruz e sua cara de paisagem – dia 48
33. Um dia exclusivo para as meninas – dia 53
34. Dia das Mães na quarentena – dia 54
35. Quando a falta de perspectiva bate na porta – dia 55
36. Desistir ou não, eis a questão? – dia 56
37. Detalhes contém um grande significado – dia 57
38. Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58
39. Mozart e o poder do foco – dia 59
40. Sessenta dias em quarentena – dia 60

Domingo, dia 29 de março de 2020

Back To Top