skip to Main Content

Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58

Peço Licença Para Um Pequeno Desabafo – Dia 58

Peço licença aqui a quem tem acompanhado este diário desde o dia um, tenho que confessar que escrever todos os dias tem sido bem puxado para mim que trabalho fora, cuido da casa, do marido e dos filhos, faço comida e ainda dou um curso (atualmente on-line) para um grupo na minha comunidade. Não quero admitir isso, mas eu me cobro para publicar todos os dias aqui, até porque é uma memória do que tem acontecido neste tempo de COVID-19 e isolamento social. 

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Contudo, não sei se faz sentido existir esse diário da quarentena, porque os únicos em quarentena são os filhos, eu já voltei para o escritório e isso tornou as coisas um pouco mais loucas do que elas já estava. Preciso dar um jeito de equilibrar as atividades escolares das crianças com a minha jornada de trabalhar fora oito horas por dia.

Não tem sido nada fácil!

Na verdade, tem sido bem frustrante, porque como eu disse aqui outro dia tinha conseguido esquematizar a rotina na quarentena e o fato de voltar ao escritório bagunçou tudo. Faz parte do processo, não era como seu eu fosse ficar em casa eternamente ou que a quarentena vá durar alguns anos. É estranho, mas não sinto falta da vida de antes, essa é tão gostosa que poderia viver assim para sempre —  apesar de todo trabalho que ela demanda.

Ao retomar a minha atividade no escritório, entendo perfeitamente como os pais se sentem frustrados por não poderem auxiliar os filhos nas atividades escolares durante a quarentena: 1) porque não entendem o conteúdo ensinado pela professora e/ou aprenderam diferente dos seus filhos e 2) porque chegam cansados em casa e ainda tem que sentar ao lado deles para estudar.

Sim, dá para pirar o cabeção e eu faz todo sentido, são quase sessenta dia que estamos na tentativa de ser os melhores “professores” que nossos filhos possam ter neste momento. Eles têm aula on-line, isso ajuda para dedéu, mas ainda tem muitas coisas que recorrem a nós. E quando estão errados, como fazer para entenderem que estão? 

Um nó na cabeça, sem dúvidas!

Tenho um outro projeto em paralelo, que está parado desde o dia 13 de março de 2020, ou seja, nesta quarentena eu não abri ele. Sabe como isso pode ser frustrante também? Credo… essa palavra < frustração > me acompanhou essa semana! 🤔 Ok, a vida não é um mar de rosas, mas acredito que toda frustração ela quer gerar algo novo dentro da gente, e eu quero estar aberta ao novo!

Post Series: Diário de uma mãe em quarentena

Bom, eu pedi licença às leitoras do diário porque não sei se vou continuar escrevendo ele dessa forma (se quiserem se manifestar sobre isso no meu Instagram, fiquem à vontade! Vou gostar de saber o feedback de vocês). Estou pensando ainda, ele está ficando tão comprido o post series no blog que me deixou em dúvida. 

Back To Top