skip to Main Content

Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58

Peço Licença Para Um Pequeno Desabafo Quarentena

Peço licença aqui a quem tem acompanhado este diário desde o dia um, tenho que confessar que escrever todos os dias tem sido bem puxado para mim que trabalho fora, cuido da casa, do marido e dos filhos, faço comida e ainda dou um curso (atualmente on-line) para um grupo na minha comunidade. Não quero admitir isso, mas eu me cobro para publicar todos os dias aqui, até porque é uma memória do que tem acontecido neste tempo de COVID-19 e isolamento social. 

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Contudo, não sei se faz sentido existir esse diário da quarentena, porque os únicos em quarentena são os filhos, eu já voltei para o escritório e isso tornou as coisas um pouco mais loucas do que elas já estava. Preciso dar um jeito de equilibrar as atividades escolares das crianças com a minha jornada de trabalhar fora oito horas por dia.

Não tem sido nada fácil!

Na verdade, tem sido bem frustrante, porque como eu disse aqui outro dia tinha conseguido esquematizar a rotina na quarentena e o fato de voltar ao escritório bagunçou tudo. Faz parte do processo, não era como seu eu fosse ficar em casa eternamente ou que a quarentena vá durar alguns anos. É estranho, mas não sinto falta da vida de antes, essa é tão gostosa que poderia viver assim para sempre —  apesar de todo trabalho que ela demanda.

Ao retomar a minha atividade no escritório, entendo perfeitamente como os pais se sentem frustrados por não poderem auxiliar os filhos nas atividades escolares durante a quarentena: 1) porque não entendem o conteúdo ensinado pela professora e/ou aprenderam diferente dos seus filhos e 2) porque chegam cansados em casa e ainda tem que sentar ao lado deles para estudar.

Sim, dá para pirar o cabeção e eu faz todo sentido, são quase sessenta dia que estamos na tentativa de ser os melhores “professores” que nossos filhos possam ter neste momento. Eles têm aula on-line, isso ajuda para dedéu, mas ainda tem muitas coisas que recorrem a nós. E quando estão errados, como fazer para entenderem que estão? 

Um nó na cabeça, sem dúvidas!

Tenho um outro projeto em paralelo, que está parado desde o dia 13 de março de 2020, ou seja, nesta quarentena eu não abri ele. Sabe como isso pode ser frustrante também? Credo… essa palavra < frustração > me acompanhou essa semana! 🤔 Ok, a vida não é um mar de rosas, mas acredito que toda frustração ela quer gerar algo novo dentro da gente, e eu quero estar aberta ao novo!

Diário de uma mãe em quarentena
1. E agora, coronavírus? – dia 0
2. Mudança na rotina – dia 1
3. Reclusão, agora é mais que real! – Dia 2
4. Home office: Como conciliar a vida de mãe e profissional? – Dia 3
5. Valorizar as pessoas e não as coisas – Dia 4
6. A vida fora do piloto automático – dia 5
7. Meditação de manhã: costume que traz paz – dia 6
8. A ideia do diário da quarentena – dia 7
9. Deus é paz: firmar meus pés na verdade – dia 8
10. Acredite nas promessas de Deus para sua vida – dia 9
11. Ritmo de vida: Encontre o seu durante a quarentena – dia 10
12. Clube das 5 da manhã até na quarentena – dia 11
13. O dia que parecia que não tinha fim – dia 12
14. A sociedade que não existirá mais – dia 13
15. Uma tempestade em dia de sol — dia 14
16. Nada como um dia após o outro – dia 15
17. Home school: desafio imposto pelo coronavírus – dia 16
18. O renovo de um abraço – dia 17
19. Como dispensar o tédio na quarentena? – dia 18
20. O motivo que nos fez sair de casa: vitamina D – dia 19
21. As dores do ócio na quarentena – dia 20
22. Uma arca chamada casa – dia 21
23. Esperança por dias melhores e a Páscoa – dia 22
24. Tradição que marcou a história da humanidade – dia 23
25. Profundas reflexões ou pirações de uma mãe em quarentena! – dia 24
26. Lindos dias de sol para espantar a tristeza da reclusão – dia 25
27. Páscoa em família durante a quarentena – dia 26
28. Segunda-feira nossa de cada semana – dia 27
29. Quando circunstâncias preocupantes invadem a mente – dia 28
30. A loucura virou rotina com o vírus chinês – dia 29
31. 30 dias em quarentena e um novo normal – dia 30
32. As respostas que ninguém tem – dia 31
33. É possível se sentir livre e leve dentro de casa? – dia 32
34. A privação da liberdade não acabou – dia 33
35. Borbulhas – dia 34
36. Vassoura em busca do sindicato – dia 35
37. Aulas práticas de química na maternidade – dia 36
38. Jejum de palavras negativas – dia 37
39. Coisas simples da vida que fazem a diferença – dia 38
40. O olhar da janela: o que ele comunica para você? — dia 39
41. Quarenta dias de um diário de uma mãe em quarentena – dia 40
42. Paciência: a palavra da quarentena – dia 41
43. A brevidade dos nossos dias – dia 42
44. O pesadelo que rende uma noite mal dormida – dia 43
45. Dias e dias: os altos e baixos da quarentena – dia 44
46. Dia do trabalho com a mão na massa – dia 45
47. Limpar a casa e curtir a família – dia 46
48. Boas maneiras começam em casa – dia 47
49. Senhor avestruz e sua cara de paisagem – dia 48
50. Império Lego contra Heartland: quem ganhará? – dia 49
51. A escrita e a quarentena – dia 50
52. Facilidades complicadas, temos! – dia 51
53. Saudades da rotina tranquila – dia 52
54. Um dia exclusivo para as meninas – dia 53
55. Dia das Mães na quarentena – dia 54
56. Quando a falta de perspectiva bate na porta – dia 55
57. Desistir ou não, eis a questão? – dia 56
58. Detalhes contém um grande significado – dia 57
59. Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58
60. Mozart e o poder do foco – dia 59
61. Sessenta dias em quarentena – dia 60

Bom, eu pedi licença às leitoras do diário porque não sei se vou continuar escrevendo ele dessa forma (se quiserem se manifestar sobre isso no meu Instagram, fiquem à vontade! Vou gostar de saber o feedback de vocês). Estou pensando ainda, ele está ficando tão comprido o post series no blog que me deixou em dúvida. 

Back To Top