skip to Main Content

Nada como um dia após o outro – dia 15

Nada Como Um Dia Após O Outro - Mulher Balançando O Cabelo

Acordei pela manhã e procurei me concentrar nas coisas pelas quais posso ser grata, como a chuva que caiu na noite anterior e trouxe um clima mais fresco para o dia de hoje, também pela saúde e pela minha família. Eu levantei, peguei meu copo de água, sentei para ler e fazer minhas orações matutinas. Como ontem foi um dia bem turbulento, decidi fazer algo um pouco diferente: fui caminhar na rua. E é aquela coisa, nada como um dia após o outro para que a mente se renove e as energias sejam reabastecidas, minha e das crianças.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Passava das 8h, já tinha tomado meu banho, escrito um novo post para o blog quando eles finalmente acordaram. Isso foi tão estranho, porque eles normalmente levantam às 7h no máximo. Sou daquelas que acredita que se estavam dormindo era porque precisavam descansar, fiquei quietinha para que isso fosse possível.

Depois fizemos a atividade da escola da Catarina, que como comentei outro dia é sobre Páscoa o projeto atual. Eles vão enviar os materiais para que realizemos em casa as atividades com as crianças. Confesso que preciso de paciência porque muitas vezes a Catarina quer desistir no meio da atividade, preciso incentivá-la a permanecer concentrada. Percebo que o máximo de tempo que ela fica em função é 30 minutos, passou disso já não consegue mais focar.

Cauê também tinha atividade de alemão e português para fazer. Pensei que a de alemão seria um verdadeiro desafio para realizar pois eu não entendo o idioma, mas ele se virou muito bem na tarefa, que era on-line. \o/ Até achamos um caderno antigo para ele utilizar como apoio.

Me atrapalhei toda hoje para fazer o almoço, comecei era meio-dia. As crianças já estavam com fome, óbvio e começaram a beliscar as saladas que eu ia cortando: cenoura, tomate e a batata que cortei para fazer o purê. O feijão deu meio errado porque a panela não pegou pressão, cozinhou mas poderia ter ficado mais macio se a panela tivesse funcionado da maneira que ela foi projetada. Nota mental: comprar uma nova borrachinha para ela. 

Eles brincaram muito, levaram até a cozinha da Calesita para o banheiro —  ideia do meu marido, claro! Fizeram muitas comidinhas e lavaram muita louça, Catarina amou a brincadeira! E eu também porque não fizeram lambança pela casa, rs! Quando se mora em apartamento tem essas limitações. Se tivesse uma área externa seria bem diferente e provavelmente eles gastariam bem mais energia.

A esperança se renova um dia após o outro

Como eu falei, mas quero enfatizar: nada como um dia após o outro. Essa frase é tão essencial na maternidade como aquela que diz: “vai passar”. A cada novo amanhecer é um novo dia e a chance de recomeçar e fazer melhor do que no dia anterior. Reconhecer os erros e os acertos para fazer diferente o que for necessário. Eles se entenderam bem mais e quando não se entendiam, eu chamava um deles para me fazer companhia no quarto enquanto trabalhava. Catarina ria da minha cara e falava que ficaria me incomodando, mas que nada, fez muitas comidinhas para mim e até ganhei um café com bolinhas de gude para alegrar meu dia! Ora, a gente tenta dar um jeito.
Mas esse jogo de cintura começa no início da manhã para mim, pedi para Deus que ele derramasse da paz dele sobre nosso dia e lar. Eu sou totalmente humana e muitas vezes tenho reações naturais de um ser humano estressado que precisa se concentrar e tem muito barulho externo conflitando com o barulho interno. Não é o ideal, mas com a graça,  misericórdia e sabedoria de Deus sei que sou capaz de fazer as coisas fluírem aqui em casa. Sozinha, totalmente falha!

Faz três dias que eu não me conecto com o que está acontecendo no mundo, sabe por quê? Percebi que quanto mais leio notícias o meu dia fica pesado e na primeira semana do mês já é tensa por natureza, faturamento e muitas coisas acontecendo ao mesmo, o que eu não preciso é sobrecarregar o meu dia com as informações que me deixarão deprimida e assustada. Mantenho a rotina de acordar às 5h, ler, meditar na Palavra de Deus e orar para que tudo isso passe logo. Nesse primeiro momento é que fortaleço minha fé, mas sei que para muitas pessoas esses dias não tem sido nada fáceis emocionalmente e mentalmente. 

Se você tem se sentido assim, quero dar um conselho: 

Leia o Salmo 91 ou o Salmo 23 que é mais curtinho. Deixe ele fazer sentido para você…

Leia quantas vezes for necessário até que você sinta a paz que aquela mensagem quer trazer para seu coração. 🙏🙌

Diário de uma mãe em quarentena
1. O dia que parecia que não tinha fim – dia 12
2. A sociedade que não existirá mais – dia 13
3. Uma tempestade em dia de sol — dia 14
4. Nada como um dia após o outro – dia 15
5. Home school: desafio imposto pelo coronavírus – dia 16
6. O renovo de um abraço – dia 17
7. Como dispensar o tédio na quarentena? – dia 18
8. O motivo que nos fez sair de casa: vitamina D – dia 19
9. As dores do ócio na quarentena – dia 20
10. Uma arca chamada casa – dia 21
11. Esperança por dias melhores e a Páscoa – dia 22
12. Tradição que marcou a história da humanidade – dia 23
13. Profundas reflexões ou pirações de uma mãe em quarentena! – dia 24
14. Páscoa em família durante a quarentena – dia 26
15. Segunda-feira nossa de cada semana – dia 27
16. Quando circunstâncias preocupantes invadem a mente – dia 28
17. A loucura virou rotina com o vírus chinês – dia 29
18. 30 dias em quarentena e um novo normal – dia 30
19. As respostas que ninguém tem – dia 31
20. É possível se sentir livre e leve dentro de casa? – dia 32
21. A privação da liberdade não acabou – dia 33
22. Borbulhas – dia 34
23. Vassoura em busca do sindicato – dia 35
24. Aulas práticas de química na maternidade – dia 36
25. Jejum de palavras negativas – dia 37
26. Coisas simples da vida que fazem a diferença – dia 38
27. O olhar da janela: o que ele comunica para você? — dia 39
28. Quarenta dias de um diário de uma mãe em quarentena – dia 40
29. Paciência: a palavra da quarentena – dia 41
30. A brevidade dos nossos dias – dia 42
31. Dias e dias: os altos e baixos da quarentena – dia 44
32. Senhor avestruz e sua cara de paisagem – dia 48
33. Um dia exclusivo para as meninas – dia 53
34. Dia das Mães na quarentena – dia 54
35. Quando a falta de perspectiva bate na porta – dia 55
36. Desistir ou não, eis a questão? – dia 56
37. Detalhes contém um grande significado – dia 57
38. Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58
39. Mozart e o poder do foco – dia 59
40. Sessenta dias em quarentena – dia 60

Quarta-feira, 01 de abril de 2020

Back To Top