skip to Main Content

Home school: desafio imposto pelo coronavírus – dia 16

Home School - Diário De Uma Mãe Em Quarentena

Hoje pela manhã quando estava fazendo minha leitura e orações comecei a relembrar de janeiro deste ano quando pedia para Deus mais tempo para aproveitar as crianças. É óbvio que eu não imagina o que estava por vir, mas de todo modo me sinto grata por poder estar mais próxima das crianças. Claro que temos nossos contratempos na rotina e por mais que eu tenha feito um planejamento no dia anterior, pode ser que no dia seguinte não consiga realizar, por “n” fatores. Uma verdade seja dita: home school é um desafio, pelo menos para nós brasileiros que não somos acostumados com essa realidade.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Meu filho começou a ler com cinco anos e a Catarina se mostra bem interessada em aprender a ler também. Como eu brinco fiz a 2ª série várias vezes, pois a minha mãe é professora aposentada e desde que me conheço por gente lecionou para essa turma, mas eu não aprendi com ela a como ensinar crianças a lerem. Tenho uma vaga noção, bem superficial mesmo. E eu me peguei esses dias pensando que a Catarina depende de mim, de certa forma, para aprender a ler e escrever. 

Eu assisti um vídeo muito bom sobre isso, da neurocientista e atriz do seriado Blossom e The Big Bang Theory, Mayim Balik. Ela pratica homeschooling com suas crianças desde sempre. Ontem ela postou o vídeo sobre como viver a escola em casa, ou seja, no contexto atual. Ela diz que homeschooling é uma filosofia baseada em muita pesquisa e a maneira de como os pais querem educar seus filhos, o estilo de vida da família e também sobre as finanças. Normalmente famílias que têm essa filosofia uma pessoa tem um trabalho em período integral, o outro não. 

Home school é uma filosofia de vida e de viver em família

Ela deixa bem claro que homeschooling é bem diferente do que estamos vivendo: trabalhar e ensinar nossos filhos a partir de casa. Todos estamos no mesmo barco de estarmos em casa, temos que trabalhar e fazer a coisa toda funcionar.

A grande verdade é que como pais não temos a experiência e nem a motivação para educar nossos filhos em casa e por isso esse é um grande desafio. As circunstâncias nos levaram a isso e precisamos encontrar uma forma de fazer fluir da melhor forma. Precisamos aceitar essa nova realidade e assumir uma postura de que iremos superar essa batalha (Não sei se é a melhor palavras, mas tem dias que parece que vivemos isso, ou não?)

Balik diz que sim é importante estabelecer horários para os estudos, mas que não necessariamente a criança ficará uma hora estudando matemática. Na sala de aula funciona diferente porque os professores precisam lidar com turmas de 20 a 30 alunos, talvez mais. Aceitar isso faz parte também da nova dinâmica que estamos imersos.

A neurocientista ainda nos incentiva a encontrar uma maneira de praticar o home school de uma forma que não seja estressante. Como já disse em alguns dias, aqui em casa funciona bem de manhã porque eles acordam cedo e estão com a mente mais leve e em paz para assimilar o novo conhecimento. Isso não quer dizer que tem dias que eles não querem fazer as tarefas ou são mais preguiçosos, sim, isso tem acontecido por aqui, rs!

Mas confesso que assistir ao vídeo dela me trouxe esperança para que eu consiga me superar na educação escolar das crianças. As escolas têm dado muito suporte para que isso aconteça e eu sou muito grata a cada profissional que tem se dedicado a tirar as minhas dúvidas e inseguranças.

Já havia pensado sobre o homeschooling, mas nunca cheguei a me aprofundar no tema. Este território, no Brasil, me parece um tanto inexplorado, até sei de famílias canadenses que praticam o homeschooling e quando seus filhos chegam na idade de ir à faculdade, retornam para seu país de origem porque as faculdades no Brasil ainda não aceitam o home school. Encontrei uma matéria de 2019 onde o presidente assinou um projeto que regulamenta o home school no Brasil, caso você tenha interesse. Vai que essa moda pega, depois que o vírus passar, hein?

Me sinto descobrindo um novo caminho, tateando em um ambiente desconhecido. Tenho me esforçado para ajudá-los a fazer suas tarefas e ensiná-los. O jogo de cintura tem que se renovar a cada manhã, porque é dar atenção à duas crianças “ao mesmo tempo” com conteúdos diferentes. Sabe como é criança, esperar ainda é algo que elas precisam treinar muito. Pelo menos aqui em casa, rs! É mãe o tempo todo, quando não ficam me enrolando e se distraindo com outras coisas. Esse é um dos meu motivos de oração: paciência. Porque ela é minha maior aliada, sem ela estou perdida, rs! Ver esse vídeo deu um gás, esperança e vontade de fazer funcionar da melhor forma possível.

Vou deixar o vídeo aqui para quem quiser assistir, é em inglês e não tem legendas em português.

Diário de uma mãe em quarentena
1. O dia que parecia que não tinha fim – dia 12
2. A sociedade que não existirá mais – dia 13
3. Uma tempestade em dia de sol — dia 14
4. Nada como um dia após o outro – dia 15
5. Home school: desafio imposto pelo coronavírus – dia 16
6. O renovo de um abraço – dia 17
7. Como dispensar o tédio na quarentena? – dia 18
8. O motivo que nos fez sair de casa: vitamina D – dia 19
9. As dores do ócio na quarentena – dia 20
10. Uma arca chamada casa – dia 21
11. Esperança por dias melhores e a Páscoa – dia 22
12. Tradição que marcou a história da humanidade – dia 23
13. Profundas reflexões ou pirações de uma mãe em quarentena! – dia 24
14. Páscoa em família durante a quarentena – dia 26
15. Segunda-feira nossa de cada semana – dia 27
16. Quando circunstâncias preocupantes invadem a mente – dia 28
17. A loucura virou rotina com o vírus chinês – dia 29
18. 30 dias em quarentena e um novo normal – dia 30
19. As respostas que ninguém tem – dia 31
20. É possível se sentir livre e leve dentro de casa? – dia 32
21. A privação da liberdade não acabou – dia 33
22. Borbulhas – dia 34
23. Vassoura em busca do sindicato – dia 35
24. Aulas práticas de química na maternidade – dia 36
25. Jejum de palavras negativas – dia 37
26. Coisas simples da vida que fazem a diferença – dia 38
27. O olhar da janela: o que ele comunica para você? — dia 39
28. Quarenta dias de um diário de uma mãe em quarentena – dia 40
29. Paciência: a palavra da quarentena – dia 41
30. A brevidade dos nossos dias – dia 42
31. Dias e dias: os altos e baixos da quarentena – dia 44
32. Senhor avestruz e sua cara de paisagem – dia 48
33. Um dia exclusivo para as meninas – dia 53
34. Dia das Mães na quarentena – dia 54
35. Quando a falta de perspectiva bate na porta – dia 55
36. Desistir ou não, eis a questão? – dia 56
37. Detalhes contém um grande significado – dia 57
38. Peço licença para um pequeno desabafo – dia 58
39. Mozart e o poder do foco – dia 59
40. Sessenta dias em quarentena – dia 60

Quinta-feira, 02 de abril de 2020.

Back To Top