skip to Main Content
Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Relato de parto normal induzido por Silvana Tonezer

Relato De Parto Normal Induzido Por Silvana Tonezer

Cada gravidez é uma gravidez e, como consequência, cada parto é um parto. Todas as mulheres são dotadas das capacidades físicas para parir um ser humano e claro, que a preparação mental faz toda diferença para o momento do nascimento do bebê. É assim que a Silvana Tonezer dá entrada na maternidade para induzir seu parto normal. Ela topou compartilhar com o blog Mamãe & Cia o relato do nascimento do seu filho João. Confiram:

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Sobre  a gestação do João Antônio

Soube que estava grávida na décima semana de gestação, com Síndrome do Ovário Policistico #SOP e o diagnóstico de que precisaria de tratamento para engravidar. Ops, não precisou rs
Desde estão mudei minha rotina de exercícios, alimentação e meu emocional para a chegada do João.
Fiz musculação durate toda gestação, corrida até o sétimo mês e pilates do sexto ao oitavo mês.
Meu acompanhamento nutricional foi com a @franfabris,  ela cuidou do nosso peso e nossa saúde. Agora ela contínua a nos orientar para a amamentação.  #amei #amo
Há algum tempo pratico técnicas de meditação e #mindfulness, isso é o máximo, tentem! Me ajudou muito na decisão sobre o tipo de parto e a ter residência porque o barrigão só aumenta e as facilidades só diminuem no decorrer das semanas.

O parto normal induzido

E chegou a hora do parto, quer dizer não chegou, passou 38, 39, 40 semanas e nada de entrar em trabalho de parto. Então como eu estava decidida que seris parto normal, as 41 semanas decidimos iniciar a indução do parto.
Começou as 10:20, com comprimido para preparar o colo do útero. As 17:30 comecei a receber ocitocina na veia, e as contrações começaram (arrepiei os pelos do braço escrevendo isso agora). Eu tinha muitas contrações nas últimas semanas, mas sem dor, com a ocitocina, a dor veiooo. Esse horário eu estava com quase 2cm de dilatação  e começamos  a deambular pelo hospital.
Por volta das 19:00 estava com 4 pra 5cm (eles falam assim lá) e as contrações aumentado a intensidade e a duração. Fomos para o primeiro banho terapêutico por 1:30hs, voltei de lá com 7cm e a dor já era algo inexplicável. Continuamos com banhos terapêuticos e exercícios na bola até as 00:00hs, quando aumentaram a velocidade da liberação de ocitocina, aí minhas amigas, o bixo pegou mesmoo!!!
Em Jaraguá não há rotina de uso para analgesia no parto normal (ranço e ódio no coração por isso ), então foi tudo no “controle da mente mesmo” rs. Enfim, desse momento em diante tive a sensação que não ia conseguir, que ia pedir arrego! (morrer)


O nascimento do João

Mas não morri (só quase kkk)…
1:25 ele nasceu, exatamente como eu sonhei, uma parte de mim, meu “passarinho”. Pesando 3,6kg e 49cm.
Muitas mulheres com quem conversei me disseram, depois que nasce acaba TUDO. E acaba mesmo, você não sente mais nada, a não ser a vontade de ficar olhando aquele rostinho que já estava com você há 9 meses mas ainda não conhecia… Ai gente, é muito bom!
Três fatores eu considero que foram fundamentais para que tudo acontecesse como planejado:
  1.  Preparação – Treino de força, corrida, pilates, caminhadas, a preparação fisica. #meditação, relaxamento, exercícios de respiração, a preparação da mente…
  2. PAI – Ele esteve junto em todos os momentos do trabalho de parto, inclusive na hora di nascimento. Me deu força, massagem, abraço… Foi meu coach
  3. Doula – É um trabalho maravilhoso, sem ela não teriamos conseguido… ela nos de suporte no pré, durante e no pós-parto Raquel Pastein, ela é maravilhosa, super recomendo!
.
Gente é isso, uma experiência única que se compensa em cada mamada, cada colinho, cada fraldinha … ter um filho é acreditar no mundo…
O importante é se conhecer e se respeitar! Não tentar se enquadrar nesse ou naquele padrão. Cada mulher tem que fazer o que a faz se SENTIR MELHOR não importa se será normal ou cesária, se quer amamentar ou não, se quer ter filhos ou não. Mas sim, o que faz sentido na vida de cada uma.
Back To Top