skip to Main Content
Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Alimentação sólida do bebê: Como e quando iniciar?

Alimentação Sólida Do Bebê: Como E Quando Iniciar?

Como mãe, eu sei que ficamos ansiosas para que a criança experimente e vivencie novas descobertas. Sendo uma das primeiras é a alimentação sólida do bebê. Vale frisar e sempre incentivar que o bebê tenha uma amamentação exclusiva e até publiquei um texto falando de 10 fatos sobre amamentação que são bem interessantes.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Por mais ansiosa que você esteja, oferece o leite materno em livre demanda. Seu peito não é estoque, então à medida que o bebê mama, mais leite é produzido para que sacie a fome do seu bebê. Você vai perceber que tem épocas que ele mama por muito mais tempo do que outras. Não existe uma regra fixa de que o bebê deve mamar um número “x” de minutos em cada mamada.

Quando iniciar com a alimentação sólida do bebê?

Somente a partir sexto meses o corpo do bebê está preparado e maduro fisiologicamente para receber a alimentação sólida. E para isso, você mãe é responsável a ensinar seu filho a se comportar na mesa (não espere que ele não vá fazer sujeira!), a se alimentar de forma equilibrada e colorida e também por proporcionar um ambiente saudável para a alimentação do bebê.

Evite distrações na hora da alimentação

Quando o bebê tem seis meses, a visão dele já está perfeita e captando todos os sinais. Se o carteiro passa na rua, o cachorro late, o desenho da TV, a panela que apita. Tudo é novidade e se ele puder, interage com tudo. Então na hora da alimentação sólida, ele deve ter o ambiente mais tranquilo possível, sem eletrônicos ligados por perto (TV, tablet, rádio, máquina de lavar), para que dessa forma, ele se concentre apenas na sua alimentação.

Sabe aquela história do “aviãozinho”? Ela pode ser muito boa, mas se você começar a criar essas distrações para o bebê comer, vai ter que fazer sempre. Mesma coisa se você utilizar brinquedos para distrair ele para comer. E acredite, você não vai querer ficar distraindo uma criança de 2 ou 4 anos!

A nutricionista Bianca Berkembrock, da Unimed Jaraguá do Sul, afirma que a distração com brinquedos ou desenhos durante a refeição não é aconselhável. Neste momento, ela deve ser estimulada a conhecer os alimentos, com diferentes cores e gostos, explorando a curiosidade. Para isso, a paciência, a criatividade e a persistência são as principais ferramentas. Nunca forçar, ameaçar ou associar eventos negativos ao ato de comer.

Estabeleça uma rotina alimentar

Outra dica é estabelecer uma rotina alimentar, sempre por volta dos mesmos horários ele faça sua refeição sólida. Mas nada impede, que se ele estiver choramingando e manhoso, você ofereça seu leite materno. Mesmo com as refeições sólidas, você ainda pode (e deve) amamentar em livre demanda, porque só assim você vai continuar produzindo mais leite materno. #ficadica

Tenha paciência

Ainda tem outro ponto, a criança associa a alimentação como um prazer, ou não, tudo depende de como você está incentivando esse novo hábito na vida da criança. No começo é normal ele fazer carinhas estranhas e/ou engraçadas quando saboreia as papinhas doces ou salgadas. E algumas vezes até pode parecer que ele está jogando a comida fora (como se não tivesse gostado), mas na verdade não é isso.

Os bebês estão acostumados a serem amamentados e portanto, a fazerem o movimento de sucção com a boca. Contudo, o movimento de mastigação é diferente do de sucção, então é necessário que o bebê aprenda esse novo movimento.


Quando o bebê está aprendendo a comer sólidos é assim mesmo, mas você vai perceber que à medida que ele se acostumar a comer, vai melhorar sua mastigação. A nutricionista ainda diz que “É muito comum a criança rejeitar novos alimentos, não devendo este fato ser interpretado como uma aversão permanente ao alimento. Em média, a criança precisa ser exposta a um novo alimento de oito a dez vezes para que o aceite bem.” Por isso, não desista. Diversifique o cardápio, mas volte a oferecer os alimentos novamente.

Como oferecer a alimentação sólida ao bebê?

Basicamente existem duas maneiras adequadas de se oferecer comida ao bebê. A primeira dela é a mais tradicional: papinha. A papinha deve ser oferecida com os alimentos amassados. De modo geral, os nutricionistas recomendam que você ofereça os alimentos de forma individual (batata num canto, abóbora no outro, etc) para que a criança consiga saborear e sentir os diferentes gostos das comidas.

A outra forma, é a BLW – Baby Led Weaning – conhecido como o desmame guiado pelo bebê. Onde a criança come brincando. Isso porque crianças de seis meses em diante já conseguem ficar sentadas (mesmo que com apoio) e costumam levar objetos à boca. Ela vai aprender que alguns desses “objetos” têm sabores e também matam a fome. Conheça mais sobre BLW!

Sem neuras com a quantidade

Você não precisa ficar neurótica pensando que seu filho precisa comer um pratão cheio de comida porque senão ele vai perder peso. Calma! Não é bem assim. Você está na introdução alimentar e isso leva um tempo.

Independente do método que você utilizar, lembre-se que se você achar que ele não comeu o suficiente, espere uma hora e ofereça o leite materno para ver se ele aceite. Não precisa dar imediatamente. Podemos nos surpreender com a quantidade de comida que a criança se sente satisfeita.

 

Compartilhe sua experiência sobre a introdução da alimentação sólida do seu bebê! Seus comentários podem fazer muitas mães se identificarem com a situação que estão vivendo, lembre-se a maternidade fica mais leve quando compartilhada!

Back To Top