skip to Main Content
14 Lições Que Aprendi Sobre Maternidade Real

14 lições que aprendi sobre maternidade real

No espírito do Dia das Mães, decidi refletir sobre esses últimos 8 anos de maternidade para considerar tudo o que aprendi. Na verdade, tem sido uma jornada de altos e baixos, lições aprendidas e re-aprendidas à medida que as crianças crescem. Mas aqui está as 14 lições que aprendi sobre Maternidade Real:

1. Você não pode ser egoísta

Eu realmente não tinha ideia de como eu era egoísta até me tornar mãe. Toda a minha vida girou em torno de mim e, em seguida, em um instante, era sobre alguém completamente diferente. Isso me tornou uma pessoa melhor em muitos aspectos, confesso que tem sido particularmente transformador.

2. Você não têm controle de tudo

A maternidade finalmente me subjugou na área de controle. Demorou um bom tempo para perceber isso, mas “caiu a ficha” de que eu não posso e não consigo ter o controle de tudo. Não importa quanto eu deseje isso.

Antes de ter filhos eu ainda não conseguia controlar tudo, mas consegui chegar bem perto. O fato de ter filhos com personalidades diferentes da minha, tem sido um verdadeiro exercício de aprendizado. Precisei encarar o fato de que não tenho controle sobre tudo e que posso abraçar a verdade de que nem todo mundo é como eu e, que nem todos farão as coisas do meu jeito … e tudo bem!

 

3. Sempre traga roupas íntimas extras

Depois de alguns acidentes, você aprende que é melhor prevenir do que ter que ir embora mais cedo da festa. Eu não posso nem dizer-lhe quantos “incidentes” aconteceram antes que eu percebesse que isso era importante. Eu finalmente aprendi a lição! Roupa íntima extra para todos!

 

4. Saborear todos os momentos

Confesso que muitas vezes me vi vivendo no futuro muito mais do que vivi no presente. Ter filhos me apresentou a natureza finita da vida e abriu meus olhos para a rapidez com que ela pode passar. É claro que não aproveito cada momento de todos os dias, mas ser mãe me ajudou a fazer isso com muito mais frequência.

 

5. Não fique contando vantagem

Quando eu penso “eu tenho isso”, meus filhos me provam ao contrário. “Oh, mamãe! Você pensou que finalmente me teve em uma rotina de sono consistente? E você realmente postou sobre isso no Facebook ?! Hahahaha!”

Sim… Não adianta ficar contando vantagem, uma hora você vai morder a língua. Eu estou aprendendo isso, que por mais que eu acredite que as coisas estão bem (como o desfralde da Catarina ou rotina de sono do Cauê quando era menor) sempre é possível que as coisas mudem e/ou escapem. A maternidade real é um exercício de adaptação … assim como a vida.

 

6. Pessoas diferentes precisam de coisas diferentes

Realmente não existe uma maneira única de ser pai/mãe … ou viver sua vida. No início de minha jornada materna, acreditei erroneamente que tinha meu próprio canto da verdade e que minha maneira de fazê-lo era o melhor caminho, obviamente.

Depois de ser derrubado pela realidade inúmeras vezes, ganhei muita empatia e a percepção de que a vida não é de tamanho único.

A jornada de todos é diferente e todos – todos os homens, mulheres, mães, pais e filhos – precisam de coisas diferentes. Aquela cama de chão Montessori pode ser incrível para a sua família, bem como um berço pode funcionar muito bem para outra família.

 

7. Eu sou mais incrível do que eu possa imaginar

O meu próprio consegue fazer crescer, nascer e até mesmo alimentar a bebês, é realmente extraordinário. E o fato de mantê-los vivos? Bem, se isso não é incrível, eu não sei o que é. Eu posso fazer coisas difíceis. Sem sombra de dúvida, a maternidade real me ensinou isso.

 

8. O sono resolve tudo

Às vezes não há palavras suficientes ou disciplina no mundo para lidar com a falta de sono. Meus filhos podem ser birrentos e teimosos, mas se transformam em pequenos querubins depois de um sólido cochilo à tarde. O mundo inteiro parece melhor depois de uma soneca. Esse mesmo princípio vale para mim!

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

 

9. Você não precisa agradar a todos

Junto com a autoconfiança que a maternidade real me trouxe, surgiu também a consciência de que eu não existo com o propósito de fazer todos felizes. Algumas pessoas não vão gostar de mim e vão discordar das minhas decisões e tudo bem.

No final do dia, tenho que escolher o que é importante para mim e minha família. Tornar-me mãe e ter a responsabilidade sobre essas pequenas preciosidades que foram confiadas por Deus para que eu cuidasse delas, criou uma perspectiva valiosa sobre vida e o que realmente importa. Minha família é o que realmente importa.

 

10. Função supera o estilo

Antes de ter filhos, eu possuía algumas peças de roupa que não eram de algodão (algumas delas eram brancas!) E também costumava comprar todos os brinquedos mais bonitos e de madeira, sem personagens licenciados para meus filhos, porque: estilo.

Ah! Agora minha casa está cheia de plástico, personagens e até tenho peças que não são algodão, para algumas ocasiões sem filhos. A função é muito mais importante para o meu bem-estar mental e aprendi a escolher minhas batalhas. Sofás brancos e belos tops de seda? Bem, essa definitivamente não é uma colina que eu estou disposto a subir.

 

11. Realmente é preciso uma aldeia

Eu tinha ouvido o velho ditado “É preciso uma aldeia para criar um filho” muitas vezes antes de ter meus próprios filhos, mas a maternidade me ensinou o quanto isso é verdade. Eu não posso imaginar como seria difícil criar essas crianças sem o apoio amoroso do meu marido e de nossas famílias.

O apoio deles é inestimável para mim e tenho certeza de que ele salvou minha sanidade mais vezes do que eu posso contar. Mas além de apenas criar filhos, aprendi que realmente é preciso uma aldeia para simplesmente passar pela vida.

Eu comecei a valorizar minhas amizades verdadeiras em um nível ainda mais profundo desde que me tornei uma mãe. Meus amigos e familiares nutrem minha alma de uma forma que eu simplesmente não poderia fazer sem. Eu não posso fazer essa jornada da minha vida e sou muito grata pela minha aldeia.

 

12. Toalhinhas de bebê… para todo o sempre, amém.

Eu não tenho ideia de como eu vivi a minha vida sem um estoque de lenços de bebê na mão em todos os momentos. Eles são seriamente brilhantes para todas as ocasiões. Eles limpam o bumbum do bebê, limpam os rostos pegajosos, tiram manchas de maquiagem das roupas … a lista continua.

Mesmo quando meus filhos estão crescidos e saírem da minha casa, eu sempre vou ter um estoque de lenços umedecidos.

 

13. Às vezes você só precisa de um abraço

Por mais que eu acredite que a disciplina é necessária na criação dos filhos, eu percebi que às vezes um abraço é realmente tudo o que você precisa. O mesmo vale para adultos. Às vezes a vida é tão esmagadora que nada além de um abraço serve.

 

14. Fake until you make it – Finja até conseguir

Pelo menos 68% das vezes não tenho ideia do que estou fazendo como mãe. Eu estou aprendendo à medida que os dias passam, e eu rapidamente percebi que todas as outras mães também agem da mesma forma.

Eu aprendi a agir como se soubesse o que estou fazendo até realmente saber o que estou fazendo. Esta é também uma ótima lição de vida em geral. Somos todos apenas pessoas em transformação, aprendendo ao longo do caminho. Isso é realmente libertador, até mesmo da conta dos chamados “especialistas”.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top