skip to Main Content
Hiperêmese Gravídica – Doença De Kate Middleton Afeta Até 2% Das Grávidas

Hiperêmese gravídica – Doença de Kate Middleton afeta até 2% das grávidas

A hiperêmese gravídica é uma manifestação grave de náuseas e vômitos freqüentes durante a gravidez e afeta até 2 por cento das gestações. Kate Middleton é uma das pessoas mais famosas que sofreu dessa doença em suas três gestações, por exemplo. Uma gestante que tem HG pode vomitar por volta de cinco vezes em um dia.

HG normalmente inclui náuseas que não desaparecem e vômitos severos que levam à desidratação grave. Isso não permite que você mantenha alimentos ou líquidos em seu estômago. Os sintomas da hiperêmese  gravídica começam nas primeiras seis semanas de gravidez. A náusea geralmente não desaparece. HG pode ser extremamente debilitante e causar fadiga que dura semanas ou meses.

Como a gestante não consegue manter alimentos e líquidos para se manter saudável pode acarretar em desidratação e baixo ganho de peso durante a gravidez. Ainda não há nenhuma maneira conhecida de prevenir o enjoo matinal ou a HG, mas existem maneiras de gerenciar os sintomas.

5 coisas que você precisa compreender sobre hiperêmese gravídica

1. Não é apenas um enjoo matinal

O enjôo matinal, embora não seja divertido, é bem comum, na verdade, cerca de 85% das mulheres grávidas a experimentam esse sintoma da gravidez. Compare isso com os 2% que precisam lidar com o HG.

O diagnóstico é clínico e seu ginecologista pode e deve fazer esse acompanhamento caso relate sintomas como náuseas e vômitos graves, perda de peso abaixo de 5 por cento do peso pré-gestacional. Ele poderá solicitar alguns exames para constatar cetonúria, desequilíbrio eletrolítico e podem até incluir disfunção da tireoide e do fígado.

 

2. Você não está “causando” a condição.

A hiperêmese – bem como o enjoo matinal normal – é um resultado dos altos níveis de HCG, o hormônio da gravidez. Embora certos fatores de estilo de vida (descansar e manter-se hidratado) possam ser capazes de aliviar os sintomas, tenha certeza de que não é o seu estilo de vida que colocou você nessa confusão.

 

3. Medicação pode ajudar

“Infelizmente, a ciência não fez grandes progressos na compreensão ou tratamento desta condição, embora pelo menos não consideremos mais ‘psicológica’, como costumava ser o caso”, explica o Dr. HicksMas, embora os pesquisadores ainda tenham muito a aprender sobre HG, existem alguns medicamentos que podem auxiliar a diminuir os vômitos, é uma questão de conversar com seu médico.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

E adivinha? Enquanto mudanças de estilo de vida e dietéticas são a primeira linha de defesa quando se trata de tratar náusea, tomar medicação para hiperêmese gravídica é perfeitamente aceitável, desde que seja sob orientação médica.

Não há um prêmio de mãe mártir que te “obrigue” a sofrer por hiperêmese sem ajuda, até porque vai chegar um certo ponto, que se a mãe não está comendo nada, ela não está ajudando o feto. Se a mãe está desnutrida, as chances de ter problemas com o bebê aumentam.

 

4. O feto provavelmente está bem

Os bebês são incríveis e eles podem nos surpreender apesar da situação não ser favorável para o ganho de peso. Basta olhar as fotos dos bebês de Kate Middleton, nasceram lindos, rosados e até bochechudinhos. Isso demonstra que os bebês têm a melhor das habilidades: a de roubar nutrientes da mãe.

Talvez você vá até precisar de hospitalização, tomar soro para se alimentar e/ou medicação, mas nada disso se compara ao fato de carregar o bebê no colo lindo e saudável.

 

5. Lembre-se: Você não é Kate Middleton

Ela pode ser uma inspiração claro, para nos lembrar que a hiperêmese não vai nos impedir de engravidar de novo e nem de ter filhos saudáveis. Apesar da Sua Alteza Real, Duquesa de Cambridge sofrer de hiperêmese  gravídica durante suas três gestações, não quer dizer que você está fadada passar pelo mesmo processo. Pode acontecer na primeira, mas não necessariamente, vai acontecer na segunda. Na verdade, minha sogra passou por isso na primeira gestação, a do meu marido. Contudo na gestação do meu cunhado ela não teve. Voltamos a primícia de que cada gestação é uma gestação.

E vocês conhecem alguém que sofreu de hiperêmese gravídica? Ou ainda, se você teve durante a gestação, compartilha conosco como foi para você:

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top