20090215194927_large

 

 

Quando não se é mãe ainda ou pai… fica realmente difícil imaginar como sua vida vai mudar. A vida social, logo de cara fica mais restrita. Há uma grande tendência de fazer o que fica mais tranquilo para a rotina dos filhos e muitas vezes aquela saída para jantar fora é adiada. A vida familiar ganha um novo brilho, um novo ser que depende de exclusivamente de vocês.

Pode soar muito forte e responsável e realmente é!

 

Quando eles são bebês parece que não entendem, mas absorvem alguma coisa. À medida que vão crescendo e formando sua personalidade começam a basear suas ações naquelas que eles costumam ver em casa.

Por isso muitas vezes é preciso que façamos uma certa reflexão sobre as nossas atitudes, sobre as nossas palavras, sobre os nossos hábitos.

 

Nosso filho já está com quatro anos e vejo como ele faz coisas parecidas, tanto minhas quanto do pai. O jeito de ficar bravo, o costume de tirar o prato depois que termina a refeição ou então de levar a roupa para a lavanderia após seu banho. Os hábitos da boa alimentação, o fato de se preocupar se o que está comendo é ou não saudável (mas ele come besteiras de vez em quando, claro!) O fato de não gostar de jogar lixo no chão ou de reclamar de quem suja as ruas.

Eu percebo nele um pouquinho de mim… um pouquinho do meu marido. Percebo também como eu ainda preciso melhorar!

 

Quero ser melhor por mim e por ele… quero que ele seja um bom cidadão, um bom homem, um bom esposo e um bom pai. Sei que depende de mim sim quem ele vai se tornar. Não 100%… mas ele está observando… copiando…

 

Logo ele vai ser um adolescente e será que a educação que eu dei na infância vai fazer com que ele seja meu amigo e depois venha me contar à respeito dos amigos, do primeiro amor, da primeira decepção…

 

De verdade, eu desejo que sim…

 

Até lá… continuamos a nos melhorar …

 

E por que não ser uma metamorfose ambulante?!?!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também