skip to Main Content

Sarampo: O que é e como prevenir essa doença?

Sarampo: O Que é E Como Prevenir Essa Doença?

Em 2016, o Brasil havia ganho um título de erradicação do sarampo no país. Esse ano, um surto aconteceu nas cidades de fronteira com a Venezuela e várias pessoas foram infectadas. Uma criança Venezuela, de 3 anos, morreu por não ter recebido atenção e cuidados médicos logo que a doença foi manifestada. Ela morreu em solos brasileiros, infelizmente, mais uma para a estatística. O sarampo mata mais de 400 crianças por dia ao redor do mundo, segundo a UNICEF.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Uma pessoa que voltou de Manaus para o Rio Grande do Sul infectada também transmitiu o vírus, e também há casos identificados no Rio de Janeiro e isso serve de alerta para toda população.

É uma doença séria e que deve ser tratada logo nos primeiros sintomas. Compreenda sobre o vírus, formas de transmissão e prevenção ao sarampo.

 

O que é o vírus do sarampo?

O agente etiológico do vírus do sarampo, RNA, percente ao gênero Morbillivirus, família Paramyxoviridae. Causa uma doença infecciosa aguda, transmissível e extremamente contagiosa e é muito comum na infância.

 

Quais são os sintomas do sarampo?

Nem todas as pessoas que contraem sarampo manifestam os sintomas.  Os principais sintomas do sarampo são:

  • Manchas no corpo e no rosto,
  • Coceira,
  • Coriza,
  • Conjuntivite,
  • Fotofobia (aversão à luz pela dor que ela produz em casos de afecções oculares ou neurológicas)
  • Febre,
  • Tosse persistente e
  • Infecção no ouvido.

As crianças têm o sistema imunológico mais suscetível, e por isso, é comum que elas desenvolvam quadros agravantes do sarampo como pneumonia, convulsões e até mesmo morte.

 

Como se transmite o sarampo?

Por se tratar de uma doença viral, é altamente contagiosa e de fácil transmissão. É transmitida de pessoa para pessoa através de tosse, espirros, fala e até mesmo um beijo.

O sarampo pode ficar incubado (sem manifestar a doença) por um período médio de 10 dias. E é passível de contágio antes 4º a 6º dia após a manifestação das manchas até quatro dias após o exantema.

Quais são os tipos de tratamentos?

Não existe nenhum remédio específico para sarampo. O recomendado pelos médicos é que as pessoas sejam vacinadas como forma de prevenção à doença.

Mas caso já esteja contagiado com o vírus, recomenda-se procurar a unidade de saúde mais próxima à sua casa para começar o tratamento que consiste em repouso, hidratação e remédio para aliviar a dor e a febre como o paracetamol e a dipirona.

Além disso, é importante se manter bem alimentado para que o corpo tenha forças para combater o vírus por conta própria e vencer o sarampo.

Como prevenir o sarampo?

A melhor forma de prevenção continua sendo a vacinação. Crianças, adolescentes e adultos devem se imunizar para se protegerem e também proteger aqueles que não pode se vacinar como as gestantes, pessoas com câncer, HIV, etc.

No calendário básico de vacinação, é recomendada a dose da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) ou ainda a tetravalente, que além dessas doenças, também protege de catapora.

  • Crianças: A primeira dose deve ser administrada aos 12 meses e a segunda entre os 15 e 24 meses de idade. No caso da vacina tetravalente, pode ser tomada uma única dose entre os 12 meses e 5 anos de idade.
  • Adultos não vacinados: Tomar 1 única dose da vacina num posto de saúde ou clínica particular.

Adultos que não tem certeza se foram vacinados ou que não tem mais a carteirinha de saúde, podem e devem procurar uma unidade de saúde próxima a você para receber a dose da vacina.

Esquemas de doses da vacina:

  • Para ser considerado protegido, todo indivíduo dever ter tomado duas doses na vida, com intervalo mínimo de um mês, aplicadas a partir dos 12 meses de idade.
  • Para crianças, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam como rotina duas doses: uma aos 12 meses e a segunda quando a criança tiver entre 1 ano e 3 meses e 2 anos de idade, junto com a vacina varicela, podendo ser usadas as vacinas separadas (SCR e varicela) ou a combinada (tetraviral: SCR-V).
  • Crianças mais velhas, adolescentes e adultos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas: duas doses com intervalo de um a dois meses.
  • Na rotina do Programa Nacional de Imunizações (PNI) para a vacinação infantil, a primeira dose desta vacina é aplicada aos 12 meses de idade; e aos 15 meses (quando é utilizada a vacina combinada à vacina varicela [tetraviral: SCR-V]). Também podem se vacinar gratuitamente indivíduos até 29 anos (duas doses, com intervalo mínimo de 30 dias) e indivíduos entre 30 e 49 anos (uma dose).
  • Indivíduos com história pregressa de sarampo, caxumba e rubéola são considerados imunizados contra as doenças, mas é preciso certeza do diagnóstico. Na dúvida, recomenda-se a vacinação.
Back To Top