Quando estamos grávidas e empolgadas com a chegada do bebê e toda novidade que isso traz. Todos que conversamos comentam sobre como os bebês usam por pouco tempo as roupas. Eles crescem muito rápido e quando menos percebemos aquela roupinha linda e maravilhosa, não serve mais. Mas nesse momento podemos nos questionar o que fazer com as roupas do bebê que não servem mais?

#1 Venda das roupas

roupas do bebê

A cada dia que passa, os brechós no Facebook têm ganhado mais força. Eu acho bem legal essa iniciativa, pois permite comprar roupas de qualidade a um preço acessível. Não apenas roupas, mas também sapatos, brinquedos, carrinhos e bebê conforto estão disponíveis para compra ou doação.

Sem contar as mais diversas lojas que também funcionam com esses sistemas de comercializar as roupas usadas. Há muitas mães que começaram empreendimentos baseada nessa ideia, pois percebem como seus filhos deixaram roupas novas ou até com pouco uso e comercializam as peças. Criando, a partir do nascimento do filho, um negócio bem-sucedido.

#2 Doação das roupas do bebê

Eu apoio essa ideia! Só quem ganhou enxoval para os seus filhos sabe como isso é bom, sinônimo de bênção, cuidado, amor e alívio! Os meus dois filhos foram privilegiados pois sempre foram presenteados com roupas repassadas de crianças mais velhas. Se a gente for parar para pensar é a mesma máxima que te leva a vender, leva a doar/receber. Isso porque as roupas não se desgastam. Voltamos a ideia máster: eles crescem rápido e deixam as roupas novinhas, sendo possível o reaproveitamento delas.

 

#3 Metalização dos sapatinhos do bebê

Quando eu ganhei o Cauê, minha mãe pediu para guardar seu primeiro sapatinho na ideia de eternizar ele. Na época eu não sabia como até que descobri a metalização dos sapatinhos do bebê. Fica retrô e muito fofo!

Normalmente as empresas que fazem esse trabalho, disponibilizam nas cores níquel ou cobre. Particularmente, eu acho que o cobre dá mais o ar retrô e gosto mais.

É possível coloca-los em um quadro para fixar na porta do quarto do filho ou então em uma base de madeira.

Além dos sapatinhos, também é possível fazer com outros objetos como chupetas e também brinquedos.

 

#4 Moldura com a roupa do bebê

Confesso para vocês que eu ainda tenho guardado as roupinhas que as crianças saíram da maternidade e a que elas foram consagradas à Deus.  Minha mãe tinha guardado coisas minhas de quando eu era bebê e eu lembro que eu gostava de brincar com as minhas roupas. Nessa ideia eu acabei guardando, como uma recordação para mim e para eles.

Mas essa ideia de emoldurar as peças de roupas junto com algumas lembranças também é muito fofa e é uma recordação para sempre!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂