skip to Main Content

Procedimentos odontológicos na gestação, o que pode e não pode fazer

A gestação é um período cheio de mudanças e de responsabilidade, o corpo passa a ser casa para uma nova pessoa e tudo que você fizer irá influenciar no crescimento do bebê. Nesse contexto podem surgir diversas dúvidas, inclusive sobre procedimentos odontológicos na gestação.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Devido a gravidez, o corpo, a mente, a saúde e até a saúde bucal da mulher podem mudar, e os tratamentos odontológicos não devem ser vistos como algo à parte, eles precisam caminhar junto com o pré natal. 

É comum as gestantes acharem que procedimentos odontológicos na gestação não devem ser feitos; mas o cuidado é necessário e algumas situações ainda são vistas como as que precisam ser evitadas.

Por esse motivo, vamos te ajudar a entender o que pode ser feito e o que não pode fazer durante a gestação.

Gravidez e saúde bucal

O cuidado com a saúde bucal é tão importante que está na Caderneta da Gestante.

Afinal, assim como pode haver mudanças hormonais, também podem ocorrer alterações na saúde bucal. 

Durante a gestação é comum que a gengiva fique mais sensível. Não é uma regra, mas devido a essa sensibilidade podem surgir problemas como:

  • Periodontite;
  • Cáries;
  • Boca seca;
  • Gengivite.

Como ocorrem diversas mudanças no organismo, algumas delas impactam diretamente no funcionamento do corpo, podendo haver a dilatação das veias – que aumentam a sensibilidade e resposta nas inflamações -, aumento da acidez bucal e até a redução no fluxo salivar.

Além disso, por causa dos enjoos, pode ocorrer a corrosão no esmalte dos dentes por conta do aumento das bactérias e acidez na cavidade bucal. 

Para auxiliar no controle das patologias orais, a água é grande aliada, ajudando na limpeza de resíduos e na produção de saliva. 

A constância na manutenção da higiene também se mostra ainda mais importante nesse momento, demandando o uso adequado da escova e do fio dental – seja nos dentes naturais ou com procedimentos como implantes e lente nos dentes.

Outro ponto de atenção é que os tratamentos odontológicos não devem ser interrompidos durante esse período, por isso o acompanhamento profissional se faz necessário.

Inclusive, as visitações são ainda mais importantes no segundo semestre, pois podem impactar diretamente na saúde da criança e até acarretar na necessidade de realizar um parto prematuro. Por isso, avise seu dentista sobre a novidade e preste atenção na saúde bucal.

Confira a seguir a importância de realizar alguns tratamentos e quais deles podem ser mantidos no período gestacional.

Clareamento dental

O clareamento dental com moldeira é um dos processos que podem ser feitos normalmente durante a gestação.

Cabe mencionar que os géis clareadores utilizados para o processo não são prejudiciais para o bebê.

Contudo, se o procedimento for apenas estético converse com o seu dentista e decida se não é melhor esperar o fim da gestação ou há necessidade de realizá-lo antes.

Utilização de anestesia 

Apesar dos diversos mitos que cercam o tema, sim, as grávidas podem ser anestesiadas durante um procedimento odontológico. 

Atualmente, existem anestesias próprias para serem usadas na grávidez. A única contraindicação são produtos que tenham vasoconstritores, pois eles atrapalham a circulação sanguínea. 

Em situações como a necessidade de implante dentario e demais procedimentos mais invasivos, a anestesia deve ser utilizada para reduzir dores e desconfortos.

No entanto, apesar de não haver problemas em utilizar a anestesia, o indicado é avaliar junto ao profissional a urgência do procedimento e os cuidados que podem ser necessários após o tratamento.

Exames radiológicos

A gestante pode realizar um exame radiológico, mas é um procedimento que deve ser evitado. 

Se houver necessidade de realizar uma radiografia, alguns cuidados devem ser tomados, como o cuidado maior em relação a quantidade e ao uso dos equipamentos de segurança para reduzir a exposição aos raios.

Cabe ressaltar nesse ponto que, tomados os cuidados e como o raio-x estará posicionado apenas na região da face, não há perigo para a mãe e/ou criança.

Por ser um exame rápido e em que há a proteção do avental de chumbo, é possível realizar se houver necessidade, mas não esqueça de informar os profissionais sobre a gestação. 

Utilização de aparelhos dentais 

As mamães que utilizam aparelho ou estão iniciando o tratamento quando descobrem a grávidez não precisam se preocupar. 

Continuar com o procedimento não irá atrapalhar na gestação, mas durante esse período é importante visitar com mais frequência o dentista e caprichar na limpeza.

Para quem está realizando o tratamento e teme inflamações e os cuidados extras que o modelo fixo aparenta acarretar, o modelo de aparelho ortodontico transparente é uma ótima opção. 

Isso porque ele pode ser removido durante as refeições e na hora do parto, permitindo também uma escovação mais fácil e eficiente.

Mas lembre-se que mesmo sendo removível o modelo também necessita de atenção na higienização, inclusive do próprio molde utilizado.

Lente de contato dental

O mais indicado é que a colocação de lente nos dentes seja um processo realizado após o nascimento do bebê. 

As lentes são utilizadas para arrumar dentes que possuem diferenças de largura ou altura, melhorar o espaço entre eles e a aparência do sorriso como um todo. 

Para colocar as lentes é necessário calcular o tamanho desejado para as películas e devido a retração gengival que pode ocorrer na gestação, o resultado pode não ser satisfatório quando elas voltarem ao normal.

Além disso, é preciso levar em consideração que nesse período a gengiva já estará mais sensível. Então o mais adequado é esperar o fim da gestação. 

Uso de antissépticos bucais

Um dos componentes dos antissépticos bucais é o álcool, que resseca a mucosa bucal e irá piorar a sensação de boca seca que ocorre durante a gravidez.

Alguns antissépticos também possuem anestésicos, que durante a gestação não devem ser utilizados sem o acompanhamento de um profissional.

A saúde bucal da gestante deve ser acompanhada desde o descobrimento da gravidez.

Por isso, não pare os tratamentos odontológicos e mantenha seu dentista atualizado. 

Há muitos mitos por trás da odontologia e da gestação, mas uma dor de dente pode ser bem mais incômoda para a mulher do que realizar um procedimento que – com os cuidados corretos e atenção necessária – trará apenas benefícios para ela e para o bebê. 

Converse com o profissional e retire todas as suas dúvidas, assim, se houver necessidade de sentar na cadeira do dentista, não será um pesadelo. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com enfoque na humanização.

Back To Top