skip to Main Content
Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

O que realmente importa na maternidade?

O Que Realmente Importa Na Maternidade?

Casei muito jovem, era o que todos me diziam. Ele tinha 22 anos e eu, 20. Jovens cheios de sonhos e com um desejo enorme de formar uma família. Casamos em seis meses de namoro e todo mundo achou que estava grávida. O que realmente importa na maternidade só fui descobrir três anos mais tarde, quando nasceu nosso primogênito. Oito anos depois, fui mãe pela segunda vez.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

O que descobri é que a vida de mãe pode ser bem desafiadora, linda, avassaladora e arrebatadora. Tudo tem seus prós e contras… seu ônus e bônus. Você pode até desejar uma maternidade perfeita, mas os resfriados vêm para te mostrar o que são noites mal dormidas e olheiras. 

Percebi que o medo é um sentimento comum nas mães. Medo de errar. Medo de não dar conta. Medo de não ter mais uma vida normal. Medo do mundo. Medo das influências. Medo de deixar sozinho. Medo de dar liberdade. Medo de deixar mimado demais. Medo de cair e se machucar. À medida que os dias passam, as crianças crescem, aprendemos com cada nova fase. Ela traz incertezas, inseguranças e até noites mal dormidas (quem diria… de novo!). Eles aprendem a viver a vida e nós aprendemos a como viver com eles e por eles.


O que realmente importa na maternidade?

Amor

O maior sentimento que pode existir nesse mundo. O amor supera e transcende barreiras. O amor lança fora todo medo. O mundo até pode estar perdido e violento, e para mim, isso é falta de amor. A base familiar é onde a sementinha está sendo cultivada. As crianças aprendem vendo os pais se amarem. Aprendem a receber carinho, amor, apoio e também a oferecer isso aos irmãos e amigos. Só podemos amar os outros quando nos amamos.

Se tem algo que realmente importa na maternidade é que nossos filhos se sintam amados. Esse ano, aprendi que existem cinco linguagens do amor: palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e toque físico. Gary Chapman, em seu livro “As 5 linguagens do amor das crianças” publicado pela editora Mundo Cristão, explica cada uma delas e diz que muitas vezes falamos a linguagem do amor que nossos filhos não entendem. Precisamos nutri-los com todas, mas é essencial saber qual é a do nosso filho para que correspondamos o amor da maneira que ele realmente entende que o amamos. Não basta dizer para alguns, é preciso expressar de outras formas. Só digo: LEIA! É transformador!

Presença

O amor cresce mediante a convivência. É preciso de espaço, tempo e dedicação para isso acontecer. Muitas vezes é necessário a tomada de decisões que impactam na família, no orçamento e até mesmo na rotina. 

Tempo de qualidade

Você pode trabalhar fora e ter uma hora de tempo exclusivo a noite com seu filho. Você pode ficar o dia todo com seu filho e mesmo assim não oferecer tempo de qualidade para ele. Aprendi que não importante se trabalho fora ou não, o que importa realmente é a qualidade do tempo que dedico aos meus filhos. Por isso, estou em um desafio próprio: WhatsApp é bom e uma verdadeira distração. Como trabalho fora, brinco que não olho das 18h às 9h. Se quiserem me ligar para uma urgência, meu telefone ainda funciona. Mas durante esse período, principalmente após chegar do trabalho é meu momento de dedicar a atenção para eles, fazer jantar, verificar tarefa, banho, contação de histórias. Eles precisam desse momento e eu tanto quanto eles.

 

Diálogo

Uma boa conversa resolve muitas coisas. É onde os pontos nos “is” são colocados. Quando podemos externar nossa admiração pelas conquistas. Também podemos falar sobre questões que nos tiram o sono. A parte importante do diálogo é saber ouvir. Você pode falar e saiba ouvir o que seu filho tem para lhe dizer, contar e até chorar. 

Meu pastor e pai de dois, me ensinou a sempre manter o canal do diálogo sempre aberto com meus filhos. Disse que isso funcionou muito bem e funciona até hoje. Confesso que olhando de fora, o relacionamento entre eles parece bem sólido e aberto, e desejo que o relacionamento dos nossos filhos seja muito parecido com o que eles vivem.

Oração

Há situações que fogem do nosso controle. E nessas situações precisamos recorrer a proteção divina. Orar agradecendo as coisas boas que temos e entregando todos os nossos medos nas mãos dAquele que tudo pode fazer. Recentemente, li um livro que fala sobre “O poder da oração que domina o medo“, da autora Stormie Omartian publicado pela editora Mundo Cristão, ela compartilhou sobre suas experiências com o medo e como isso a travou de viver uma vida plena. Além disso, ela nos ensina o que devemos pensar dizer e pedir em oração quando estamos nos sentindo com medo.

Foi nesse livro que percebi como possuo vários medos irracionais com relação aos meus filhos e também aprendi que cada vez quem penso sobre isso, posso entregar nas mãos de Deus que tudo fez e que desejou o nascimento dos meus filhos antes mesmo do que eu.

Quando você sentir medo, seja pelo que ele for, pense qual desses pilares está faltando mais dedicação. Pratique vezes suficientes até que toda a aflição se dissipe. Ahhh… pode combiná-los e usar vários ao mesmo tempo. Tem mais força! 

Talvez seus anos de experiência tenham lhe ensinado outras coisas. Gostaria que você compartilhasse conosco o que realmente importa na maternidade para você! Com certeza, eu posso aprender muito com sua vivência e também outras mulheres que lerem seu comentário.

 

Deixo abaixo as sinopses dos livros que recomendo a leitura:

as cinco linguagens do amor para crianças - Gary Chapman

Sinopse: As cinco linguagens do amor das crianças:

Você sabe falar a linguagem de amor de seu filho? Cada criança possui uma linguagem de amor principal e específica, uma maneira pela qual ela compreende melhor o amor do pai e da mãe. Este livro ensinará você a reconhecer e falar a linguagem de amor fundamental de seu filho ou filha, e o informará sobre as outras quatro linguagens de amor pelas quais as pessoas entendem e oferecem amor. Todos precisamos aprender a amar e ser amados. Pautados em décadas de experiência em aconselhamento, os autores poderão instruir você a experimentar um nível novo de relacionamento com seu filho ou filha: mais próximo, mais íntimo e mais prazeroso. Nesta edição revista e ampliada, As 5 linguagens do amor das crianças o ajudará a aprofundar seus laços afetivos e a demonstrar de modo mais eficaz seu amor aos pequenos

 

 

o poder da oração que domina o medo _ Stormie OmartianSinopse: O poder da oração que domina o medo contém ferramentas que ajudarão a leitora não só a descobrir seus temores ocultos e a enfrentá-los, como também a construir um alicerce sólido de verdades bíblicas sobre o qual pode se firmar, a fim de se livrar deles por completo.

Back To Top