skip to Main Content

Filmes para quem ama Exatas

As ciências exatas são tão importantes na vida da sociedade que já foram retratadas em várias obras do cinema. Física, química, matemática, estatística, cálculo – incluindo integrais trigonométricas – e tantos outros campos da área foram parar nas telonas e ainda são assistidos nas telinhas da TV e das plataformas de streaming.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Além da ficção científica, os números e raciocínios lógicos estão presentes nos dramas, nas aventuras e nas biografias, como fios condutores da trama principal da jornada do protagonista ou como pano de fundo da história.

Obras adaptadas a partir de fatos reais, de pessoas que mudaram o mundo a partir das habilidades e da dedicação ao estudo das ciências exatas, são comunsHá também filmes que adotaram “licenças poéticas” para trabalhar conceitos matemáticos – em nome do roteiro e da emoção do público.

A lista a seguir, traz quatro indicações de filmes para quem ama as ciências exatas. Os títulos podem ser encontrados na internet.

Rain Man (Rain Man – 1988)

Lançado em 1988, Rain Man foi o grande vencedor do Oscar em 1989, com prêmios de melhor filme, melhor direção para Barry Levinson, melhor ator para Dustin Hoffmann e melhor roteiro original.

O jovem executivo Charlie Babbitt (Tom Cruise) descobre que o pai deixou a maior parte da fortuna no testamento para Raymond (Dustin Hoffmann), um homem diagnosticado com a síndrome de Savant, um dos transtornos do espectro autista, seu irmão cuja existência era desconhecida e que vivia em uma clínica.

Charlie sequestra Raymond para tentar garantir o acesso à herança, no entanto, não percebe que começou uma jornada para descobrir o significado da fraternidade.

Raymond é capaz de resolver problemas matemáticos com velocidade e precisão, além de ter uma memória incomum. A habilidade deixa o irmão impressionado e aproxima os personagens.

Gênio Indomável (Good Will Hunting – 1997)

Este filme de 1997 conquistou dois Oscar na cerimônia de 1998: melhor ator coadjuvante para Robin Williams e de melhor roteiro original para Matt Damon e Ben Affleck.

Aos 20 anos, Will Hunting (Matt Damon) é um jovem que acumula passagens pela polícia, não sabe lidar com as emoções e não tem perspectiva de futuro. Depois de ser preso, recebe a determinação de fazer terapia, mas ele não se adapta a nenhum analista, até encontrar Sean Maguire (Robin Williams).

O catalisador para a mudança de vida e a descoberta da genialidade de Will é a habilidade com a matemática. Funcionário da limpeza de uma universidade de Boston, ele impressiona ao resolver um teorema proposto em uma aula aos universitários.

Moneyball: o homem que mudou o jogo (Moneyball – 2011)

O filme é inspirado na temporada de 2002 do time de beisebol norte-americano Oakland Athletics, que disputava a liga nacional nos Estados Unidos. O gerente geral da equipe, Billy Beane (Brad Pitt), com a ajuda de Peter Brand (Jonah Hill), passou a utilizar as estatísticas de desempenho dos jogadores para montar a equipe.

Com os resultados da estratégia baseada na análise, a equipe mudou a forma como o jogo era visto e organizado.

O filme mostra como as estatísticas de cada atleta eram utilizadas e foram critérios para a permanência, a saída e a contratação de nomes para a equipe. A estratégia inovadora passou a ser adotada pelos demais times.

O homem que viu o infinito (The Man Who Knew Infinity – 2015)

Este filme britânico de 2015 é baseado na vida do matemático indiano Srinivasa Ramanujan (Dev Patel). Ele nasceu em 1887, em Madras, uma região pobre do país. Autodidata, Ramanujan enviou trabalhos científicos para o matemático Godfrey Harold Hardy (Jeremy Irons).

A troca de correspondências rendeu o convite para Ramanujan estudar no Trinity College, em Cambridge. A película aborda a relação da amizade, o conflito entre pontos de vista distintos, a dificuldade de adaptação em uma cultura diferente, a xenofobia e o impacto da Primeira Guerra Mundial.

Srinivasa Ramanujan é um dos mais influentes matemáticos do século XX, com as teorias sobre números e séries infinitas, e as fórmulas para calcular em alta velocidade os infinitos decimais do número pi. Um século depois, ele ainda influencia a matemática, o desenvolvimento de computadores, a física, a economia e o estudo dos buracos negros.

Back To Top