Ser ou não ser mãe, eis a questão?

Quando recebi o contato da Unilever para escrever sobre “Porque trazer uma criança para esse mundo?”… Fiquei pensando. Porque ser mãe?

Hoje já é tradicional que famílias se formem e casais não queiram ter filhos. É possível escolher. Tudo bem que tem muita gente que não entende e acha que todos tem que querer ter filhos. Mas isso é uma escolha pessoal de cada um. Ninguém pode obrigar a ter ou não filhos. Cada um conhece sua realidade e suas vontades.

Eu sempre quis ter filhos. Sempre. Desde criança me imaginava mãe. É uma coisa engraçada de se pensar. Porque uma criança se imagina mãe. Não sei o porquê naquela época, contudo, esse era meu projeto de vida, ser mãe.

Se a gente for parar para pensar em como está o mundo hoje: cheio de violência, drogas e tudo mais que os jornais mostram é difícil querer ser pai. Talvez.

Criança, para mim, é sinal de esperança de que podemos ser melhores, podemos construir algo novo, podemos modificar a nossa comunidade com a educação! Crianças são curiosas, fazem os adultos desacelerarem para observar a formiga que está passeando pela casa e carregando os farelos de pão. Correm para a janela para ver o trem. Até o sorvete é mais degustado por eles.

Para eles a noção de tempo não está desenvolvida para os adultos. Não existe o atrasado. As coisas acontecem no tempo deles. Os adultos tendem a colocar isso, o estresse do dia-a-dia. Saudável? Se não é nem para o adulto, quando mais para as crianças.

Ter uma criança em casa é uma ocupação. Eles exigem dos pais atenção, carinho e amor. Exigem que os pais procurem ser melhor a cada dia, que repensem nas suas atitudes, que dirijam com mais cautela e sem tanta pressa. Exigem que mostrem bondade com o próximo. Eles educam os pais, ao mesmo tempo que são educados.

Ter filhos é um aprendizado constante e incessante. É ter paciência, é saber errar e assumir o erro, é querer que eles sejam melhores que a gente. Não é um mar de rosas, mas é um oceano de oportunidades infindáveis.

É o maior presente que se pode ter.

Ser mãe e pai na sociedade atual é uma arte e toda obra leva seu tempo para ser concluída.

Ser pai é ter um segundo coração, sem o qual não se pode viver sem, mas pelo qual não se tem controle. É acreditar que dias melhores virão. É acreditar em um mundo melhor.

 

Este post é patrocinado pelo Project Sunligth Unilever, mas tudo que foi escrito, é da nossa opinião.

unilever

Para mais informações acesse: Project Sunlight

 

E você, porque acredita que devemos ser pais e mães???

 

 

Continue lendo…

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também