skip to Main Content

“Porque escolhi uma escola confessional pro meu filho”

Bom dia meninas e meninos deste meu querido blog…

 

Hoje conto com mais uma participação da Silvia Duque aqui no blog, ela se tornou uma amiga muito querida minha, compartilhamos diversas informações e discutimos muito a respeito da educação, por que caminhos ela anda e por onde nós gostaríamos que ela andasse… Eu meio que participei dessa fase que ela relata no post e posso dizer que ela transmite pro papel as muitas coisas que também penso em relação a educação escolar.

Educação nem sempre é o assunto favorito de muitos… mas a escolha da escola que nossos filhos vão estudar é primordial, portanto a Silvia trás umas dicas de como escolher com sabedoria e que pontos ponderar:

 

Cada etapa do crescimento dos pequenos traz novos desafios. Quanto ao meu, um pouco antes do que eu gostaria (porque perseverei para contratar uma babá, mas não consegui…), surgiu-me o dilema de encontrar uma escolinha. Inicialmente, ele ficou na escolinha na qual o meu pai é sócio, o que trouxe vantagens e desvantagens. Eu podia estar lá na hora que eu quisesse, fiscalizar, intrometer-me nos assuntos pedagógicos, levar material didático. Mas o fato de poder vivenciar a vida da escolinha tanto de dentro, como de fora, como mãe de aluno, me fez vivenciar algumas experiências que gostaria de compartilhar.

Uma delas é que falta muitas vezes uma adoção clara da filosofia de trabalho da escola. Tão importante quanto dizer aos pais que será adotada a didática de Piaget, construtivismo europeu ou outra metodologia educacional, é importante dizer o que os professores, a direção, o aluno e os pais têm como obrigação dentro da escola. Esclarecer o que a escola vai oferecer. No que os pais devem participar. Os tipos de valores que serão desenvolvidos para ver se é isso que o pai quer para o seu filho e se está adequado à sua realidade. Sendo a escola um espaço democrático, será oferecido aquilo que a maioria escolher.

Dessa forma, muitas vezes é ineficaz remar contra a maré, sendo prudente e adequado buscar aquilo que você considera melhor mesmo que não seja mais fácil, mesmo que desagrade a muitos.

Foi o que eu fiz. Mesmo com a facilidade de poder gerenciar a escola da qual o meu pai é sócio, vi que as minhas ideias não se coadunavam com a de muitos ali e, principalmente, com as dos demais pais. Assim, optei por uma escola confessional batista, que utiliza material didático de uma renomada instituição paulista presbiteriana de ensino, a ter que lutar, com o meu filho no meio, contra uma cultura de que educar pequenos é só deixar limpo, alimentado e não permitir que se machuquem. Creio que a educação, desde cedo, pode e deve ser mais do que isso. Tem que ter interação, estímulo, descoberta, teatro, atividade física dirigida e muito mais.

A escola na qual meu filho está não é perfeita mas lá percebi, tanto na direção, no corpo docente e como nos pais, a vontade de melhorar e crescer. Ferramentas básicas para uma boa educação.

Texto: Silvia Maria Lopes Duque (@SilviaMDSouza)

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

This Post Has 11 Comments
  1. Oi, Karin,
    minha mãe escolheu nossa escola porque “sentiu no coração”. É algo que sempre recomendo a quem me pede recomendação. Adoro a escola onde meus filhos estudam, antes de mais nada porque me sinto acolhida – empre estão à disposição quando preciso fazer contato. A nota no Enem foi excelente – ou seja, o conteúdo está bem disseminado. Outro motivo, eu vi nas “entrelinhas”: em todas as atividades extra-classe, nas festas, nas feiras, TODA a equipe, dos professores aos colaboradores da limpeza, estão alegres, com boa-vontade e curtindo muito. Talvez outra mãe não sentisse isso e desse mais valor a outros aspectos. Mas, para mim, é o que mais importa e enquanto for assim eles continuarão lá.
    Beijo!
    Marusia
    #amigacomenta

    1. Nossa muito bacana seu depoimento sobre a escolha da escola dos seus filhos.
      😀
      Fico feliz que você tenha achado uma escola assim, tão especial e como você disse as pessoas que trabalham lá estão sempre felizes e contentes e parecem animadas com o que fazem, isso realmente conta muito pra qualidade do lugar.

      Acho ótimo a sua dica, aparece mais vezes aqui.
      Beijos

      Karin

    1. Oi Estefani,
      Sabe que você disse uma verdade plena, escolas no Brasil está cada vez mais complicada de se encontrar com qualidade em todos os sentidos que envolvem a instituição.
      É preciso estudar tanto as possibilidades financeiras quanto a oferta. Sem contar ainda que muitas vezes vale a pena a mãe abdicar de alguns anos de trabalho pra poder cuidar de seus filhos… claro, isso quando a situação possibilita!!!

      Obrigada pela visita!

      Beijos
      Karin

  2. Realmente, a escolha da escola dos filhos é algo super importante e precisa estar de acordo com aquilo que queremos para ele, né? Super pessoal, inclusive!
    Beijos
    Tati
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    1. Tati você disse tudo é suepr pessoal e é muito legal ver que as pessoas tem opiniões diferentes e podem conviver com elas.
      Admiro isso…

      É sempre como eu digo: cada um com seus cada uns… hehehe

      beijinhos

    1. Mariah,
      Obrigada pela visitinha… hehehe

      E você também disse uma coisa certa, quando é nosso filho, cada um sabe do seu, do que é melhor. Enfim… isso dá muito crochê!
      hehehe

      Beijinhosss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top