Fertilidade – 8 fatos que você precisa saber

Quanto você realmente sabe sobre concepção e sobre fertilidade? Se você é como a maioria de nós, é muito menos do que você pensa. De fato, quando se trata de melhorar nossa fertilidade, e a ideia do texto de hoje é falar sobre oito fatos da fertilidade que todo casal deveria saber! Em geral, a boa saúde não é necessariamente um sinal de que você, ou seu parceiro, sejam fértil.

 

Fato #1 – Boa saúde não é igual a fertilidade

Você faz exercícios regularmente, come uma dieta nutritiva e possui níveis desejáveis ​​de colesterol e pressão arterial boa? Isso é ótimo, mas isso não significa que você é fértil. Um em cada 10 casais em idade reprodutiva considerados saudáveis experimentam problemas de fertilidade, segundo a Associação Americana de Infertilidade.

As causas da infertilidade conjugal são variáveis ​​e igualmente atribuídas um terço para a mulher, um terço para o homem e um terço para razões não identificáveis ​​ou para ambos os parceiros. Infelizmente, o maior fator que afeta a fertilidade é algo que nenhum de nós pode controlar: a idade.

 

Para as mulheres saudáveis, os picos de fertilidade acontecem por volta dos 20 anos e começa a diminuir aos 27 anos e, em seguida, pontualmente ao redor dos 37 anos. Se você está no meio do 30 ou mais e tentando engravidar, você precisa descobrir quando você está ovulando e aproveitar esses momentos para fazer sexo.

E se você tem mais de 35 anos e está preocupada com a sua fertilidade, não se conforme com um ginecologista dizendo “Apenas dê tempo”. A Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva aconselha as mulheres com idade igual ou superior a 35 anos a consultar um especialista em fertilidade se não deixar engravidar após seis meses de relação sexual desprotegida. Mulheres de 37 a 40 anos não devem aguardar mais do que três meses.

 

Fato # 2 – Seu peso afeta sua capacidade de conceber.

Surpresa! 12% de todos os casos de infertilidade estão enraizados em questões de peso. Se o seu corpo está com desordem crônica ou excesso de exercício, você não pode menstruar, uma vez que é necessário um mínimo de 22% de gordura corporal para ovulação normal e competência reprodutiva.

Do outro lado da escala, o excesso de peso pode alterar a química hormonal e ajudar a prevenir a ovulação. A boa notícia é que diminuir ou ganhar alguns quilinhos pode facilmente remediar a infertilidade relacionada ao peso. Mais de 70% das mulheres concebem espontaneamente, uma vez que atingem parâmetros de peso saudáveis.

Os médicos consideram um índice de massa corporal (IMC) entre 19 e 25 ideal.

O peso não só potencialmente afeta a fertilidade, mas a gravidez também. As mulheres com excesso de peso que engravidam correm maior risco de pressão alta e diabetes relacionadas à gravidez, e as mulheres com baixo peso são mais propensas a apresentar um bebê de baixo peso ao nascer. Se você tiver um peso razoável e tentando engravidar, agora não é hora de começar a treinar para uma maratona ou entrar em uma dieta restritiva.

 

Fato # 3 Posições sexuais – coito ou pós-coito – não afetam suas chances de concepção.

Nenhum estudo confirmou que uma posição é mais eficaz do que qualquer outra na concepção da gravidez. Na verdade, o esperma pode ser encontrado no canal cervical apenas segundos após a ejaculação, independentemente da posição. Claro, uma penetração mais profunda e o máximo de contato cervical faz sentido, mas a posição ideal varia porque o corpo de cada mulher é diferente.

E, uma vez que o esperma começa a nadar imediatamente após a ejaculação, não é necessário que uma mulher se torne uma ginasta ou um mestre de yoga para engravidar. Pode haver uma pequena vantagem em se deitar após a relação sexual para manter o esperma dentro de você, mas não há absolutamente nenhum valor colocar os pés na cabeça.

 

Fato # 4 – O relógio biológico também afeta os homens.

A noção de que o declínio da fertilidade relacionado com a idade é apenas um fator feminino foi descartado por um recente estudo britânico. Pesquisadores das universidades de Bristol e Brunel avaliaram 8.500 casais para determinar o impacto da idade no tempo necessário para conceber.

Eles descobriram que, enquanto apenas 8% dos homens com menos de 25 anos não conseguiram engravidar suas parceiras após um ano de tentativa sem proteção. Esse número cresce para 15% após os 35 anos de idade.

Apesar de outros fatores, como o fato de que a freqüência de relações sexuais cai com a idade, O estudo sugere que a idade paterna, também, pode ser uma consideração para casais que lutam com infertilidade.

 

Fato # 5 -O dia da ovulação não é necessariamente o melhor dia para tentar conceber uma criança.

O esperma pode viver no aparelho reprodutivo feminino por até três dias após a relação sexual, então, fazer sexo todos os dias, ou mesmo no dia da ovulação, não é necessário. O que é crítico é saber quando você é fértil. De acordo com dados da Associação Americana de Infertilidade , 20% dos casais que procuram tratamento de infertilidade não estão sincronizando a relação sexual corretamente.

Uma mulher é fértil por um período de seis dias, os cinco dias que antecedem a ovulação (quando o ovo é liberado do ovário) e o dia da ovulação. Um estudo do Instituto Nacional de Ciências Ambientais encontrou, para a surpresa dos pesquisadores, que a capacidade de uma mulher para conceber parece terminar no dia da ovulação. Utilizar os de kits de ovulação é mais eficiente porque eles permitem que você saiba quando você está prestes a ovular. Ter relações sexuais nos dois dias antes à ovulação oferece a maior chance de concepção.

 

Fato # 6 – A cueca não vai deixar seu marido estéril

Até vários anos atrás, os futuros pais estavam desanimados com o uso de cuecas porque se dizia que os modelos mais justos mantinha os testículos perto do corpo, aumentando a temperatura escrotal e causando uma diminuição na contagem ou concentração de esperma. E, embora seja verdade que temperaturas muito altas podem ser nocivas para o esperma, a escolha da roupa íntima não aquece o suficiente para causar impacto, de acordo com dois estudos recentes.

Então, em resumo, um fio dental ou um biquíni são bem mais propensos a aquecer as coisas entre você e seu parceiro. #ficadica

 

Fato # 7 – As escolhas no controle de natalidade têm implicações de fertilidade.

Parece uma piada cruel, mas é verdade. O método de contracepção que uma mulher usou também pode afetar a concepção. As mulheres que usaram injeções de progesterona de Depo-Provera, por exemplo, podem ter que aguardar a continuidade da fertilidade normal depois de pararem de usar o medicamento por seis a doze meses.

Em relação as pílulas orais, na verdade, imediatamente após a parada da pílula, pode haver um efeito de rebote ovulatório, resultando em um período superfértil. Apesar das maiores possibilidades de conceber logo depois de parar a pílula, especialistas ainda recomendam aos pacientes esperarem de dois ou três meses antes de tentar engravidar. Dessa forma, você pode determinar de forma mais previsível o comprimento do seu ciclo, identificar seus dias férteis e ser capaz de identificar com facilidade data que você realmente engravidou.

Os contraceptivos orais também ajudam a preservar a fertilidade – os usuários de comprimidos têm um risco diminuído de doenças que prejudicam a fertilidade, como endometriose, PID e gravidez ectópica.

 

Fato # 8 – Alimentos específicos ou dietas não têm um grande impacto na fertilidade.

Não há dieta mágica que aumente as chances de penetração do esperma no ovo. A melhor coisa que você pode fazer é ter uma dieta rica em nutrientes e fibras e reduzir seu consumo de alimentos altamente processados.

Também é importante para os casais que tentam engravidar tomarem um suplemento de ácido fólico, o que ajuda a prevenir defeitos congênitos e pode melhorar a contagem de esperma.

E enquanto você pode ter ouvido que a cafeína pode dificultar a concepção, não jogue sua caneca favorita ainda. Embora tenha havido relatos de que as mulheres que bebiam mais de uma xícara de café diariamente eram quase tão propensas a conceber por ciclo como aquelas que bebiam menos, os pesquisadores reconhecem que a concepção adiada poderia ter sido atribuída a outros fatores e estudos subsequentes não conseguiram encontrar uma ligação significativa entre quantidades moderadas de cafeína e fertilidade.

Algumas pesquisas mostraram que o zinco pode melhorar a contagem de esperma, mas não vá ao mar por qualquer nutriente. Como muitas coisas na vida, a fertilidade prospera em equilíbrio.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *