skip to Main Content
Epidural: Injeção Para Alívio Da Dor Durante O Trabalho De Parto

Epidural: Injeção para alívio da dor durante o trabalho de parto

Uma verdade materna: não importa quantos livros você leia ou as histórias das amigas que você ouve, você não sabe como se sentirá durante o seu trabalho de parto. Dito isto, há uma grande probabilidade de querer saber sobre as opções de alívio da dor antes de, definitivamente, entrar em trabalho de parto. A epidural é uma das formas mais comuns de anestesia. Confira o que você precisa saber sobre ela:

O que é uma epidural?

A anestesia epidural para alívio da dor do parto é uma espécie de anestesia onde medicação para a dor é injetado perto da parte inferior da coluna. Também pode ser referido como injeção epidural, permitindo que a mulher permaneça acordada e alerta.

Como funciona a injeção epidural?

Quando você está no trabalho de parto, seu útero se contrai, levando a dor viajar do seu útero via nervos da coluna vertebral ou espinha dorsal para o cérebro. A dor geralmente é leve no início do trabalho de parto, mas piora mais perto do parto.

Ao optar por ter uma epidural, você pode bloquear essas sensações intensificadoras. Explicando: agente anestésico é injetado no espaço epidural, que é um espaço que envolve os nervos da medula espinal, fazendo com que os nervos fiquem anestesiados e assim, transmissão das sensações de dor.

Como pode ser administrada essa medicação?

Injeção Espinhal: Esta forma da droga é uma injeção única. Enquanto o alívio da dor é iminente, e o efeito, normalmente, dura até o nascimento do bebê.

Injeção Epidural: Esta forma utiliza um cateter peridural que permanece no lugar pelo resto do trabalho de parto. São administradas pequenas doses da medicação em intervalos, conforme necessário. Esse alívio pode durar de 24 a 36 horas.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Pesquisadores descobriram que a epidural precoce não aumenta a taxa de parto da cesariana nem afeta o tempo de trabalho. Quanto à saúde do seu bebê, pontuação APGAR, ou outras medidas do recém-nascido.

Você pode experimentar efeitos colaterais como redução da pressão arterial, leve coceira, dor nas costas e dor de cabeça. Uma complicação importante, como danos nos nervos, sangramento e infecção na coluna e paralisia são eventos extremamente raros.

Para minimizar os riscos, converse com seu médico antes sobre qualquer problema médico, como alergias a anestésicos locais, problemas respiratórios, problemas de sangramento, cirurgia na coluna, etc. Você também vai devagar quando começar a se mexer. “Após o parto, espere para se mover até que você tenha uma sensação de plenitude nas extremidades inferiores, porque há uma grande chance de cair e há dormência residual.

 

Em última análise, a dor do parto é diferente para cada mulher e para cada gravidez. É recomendado que você pondere as opções de alívio das dores de parto. Quem sabe opte por uma doula para que ela lhe auxilie nesse momento também.

Recomendo assistir os vídeos abaixo da médica anestesista, Raquel Rocha, onde ela explica um pouco mais sobre a anestesia durante o trabalho parto, efeitos e etc.

Vídeo 1:

Vídeo 2:

Gostou desse texto? Compartilhe em suas redes sociais!

 

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top