skip to Main Content

Distúrbios do sono possuem tratamento eficaz e eliminam os incômodos noturnos

Uma boa noite de sono é o desejo de todos. Nada melhor do que deitar na cama e dormir profundamente. Mas, dois transtornos noturnos podem atrapalhar os bons sonhos: ronco e apneia.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Segundo o médico otorrinolaringologista Márcio Freitas, o sono serve como uma limpeza para o cérebro. “Ele tem uma atividade intensa durante o dia e requer uma manutenção à noite. Não só o cérebro como todo o corpo, sendo uma maneira de recompor o organismo durante as horas em que uma pessoa dorme”, esclarece.

Contudo, o desconforto aparece junto com o ronco, acordando quem está ao lado. Além disso, a situação pode se agravar se a pessoa também desenvolve a apneia. “O ronco sozinho não é problema, só que, muitas vezes, está associado à apneia noturna, que é quando a pessoa para de respirar por alguns minutos”, ressalta.

O médico explica que, como a respiração está no automático durante o sono, o cérebro é quem controla a respiração. “Quando se tranca a respiração, começa a faltar oxigênio no sangue. O organismo responde a isso e libera adrenalina, fazendo com que a pessoa acorde. Nem sempre ela vai despertar, é um quase acordar. Isso pode acontecer várias vezes durante a noite”, esclarece.

O resultado dessa atividade noturna reflete no bem-estar do dia seguinte. Segundo o especialista, como a pessoa não atinge os estágios profundos do sono, por quase despertar inúmeras vezes, ela não descansa, o que atrapalha a concentração e as tarefas do dia a dia.

De acordo com Freitas, a recomendação é procurar um especialista para identificar o distúrbio do sono e iniciar o tratamento. “Em crianças, as causas podem estar relacionadas à rinite, adenoide, conhecida também como carne esponja, ou amídala grande. O uso de remédios é indicado, mas, geralmente, orienta-se a cirurgia para correção desses problemas, o que favorece o desenvolvimento infantil”, salienta.

Já no caso dos adultos, a rinite que causa o ronco é tratada com medicamentos. Além disso, quando a pessoa possui desvio de septo ou alterações na anatomia, como é o caso do palato mole mais extenso, local da “campainha”, é preciso intervenção cirúrgica. O médico ainda explica que há ainda outros fatores, como a pessoa estar cima do peso, em que é recomendado dieta e alternativas para perder os quilos a mais, ou, se a apneia é prolongada durante a noite, indica-se o uso de um aparelho específico que auxilia na respiração noturna.

Sobre Márcio Freitas

Márcio Freitas possui graduação na Faculdade de Ciências Médicas e residência de Otorrinolaringologia, ambas pela Santa Casa de São Paulo. É também membro da Academia Brasileira de Otorrino e Cirurgia Cervico-Facial e da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face. Além disso, conta com Mini-Fellow em Cirurgia Plástica da Face e Cosmetologia pela University Of Miami (Muller School of Medicine). Mais informações podem ser obtidas no site www.drmarciofreitas.com.br. O especialista também está no Facebook.

Back To Top