skip to Main Content
Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais
As Cinco Linguagens Do Amor Para Crianças

As cinco linguagens do amor para crianças

Quando começamos a nos imaginar mãe, logo lembramos daquelas propagandas maravilhosas, com a mãe maquiada, calma e serena dando de mamar ou trocando a fralda do bebê como se não existisse amanhã. Essa maternidade idealizada não existe! Na verdade, ela se funde com o caos da rotina e procuramos fazer o que há de melhor, dentro de nossas possibilidades.

Meus estão prestes a comemorar mais um aniversário e não é porque eles estarão fazendo 9 e 4 anos de idade que eu deixo de pensar sobre a mãe que fui, a mãe que sou e a mãe que quero ser.
Somos seres humanos, dotados de uma capacidade de aprendizado e comunicação que não há em outras espécies da criação e mesmo assim, muitas vezes temos dificuldades em nos comunicar com nossos filhos.

Devido a agitação da rotina, o vício das redes sociais (sim, isso vicia) tendemos a priorizar outras coisas nos desculpando como  se fosse para um bem maior. Por exemplo, nos dedicamos horas a fio ao trabalho para garantir um festão de aniversário para o filho, para mostrar para quem não paga suas contas que você consegue proporcionar a festa de aniversário tendência do momento.

Contudo, não consegue perceber que o filho está tentando chamar sua atenção de todas as maneiras possíveis e ele vai continuar tentando até conseguir que você preste atenção nele.

Recentemente me deparei com um livro chamado “As 5 linguagens do amor” de Gary Chapman e aprendi que todos temos a nossa linguagem principal de receber amor. Ele explica que ao falar a linguagem de amor do nosso filho estamos enchendo o “tanque emocional” dele com amor. Quando a criança se sente amada, é muito mais fácil discipliná-la e instruí-la do que quando o tanque emocional está vazio.

Gary Chapman diz que “Precisamos encher o tanque emocional de nossas crianças com amor incondicional, pois esse é o verdadeiro amor. Um amor completo, que aceita e apoia a criança pelo que ela é, não pelo que ela faz. Não importa o que ela faça (ou não faça), os pais continuam a amá-la. Infelizmente alguns pais expressam amor condicional, que depende de outros fatores. Esse tipo de amor se baseia no desempenho e quase sempre está associado a técnicas de treinamento que oferecem presentes, recompensas e privilégios às crianças que se comportam ou atuam de maneiras desejáveis.” (p.16)

 

Descubra quais são as  5 linguagens do amor

as 5 linguagens do amor para crianças

Toque físico

Abraços e beijos são maneiras comuns de demonstrar essa linguagem de amor, mas existem outras. Quando a mãe lê para a criança segurando ela em seu colo, ou quando o pai brinca de girar a criança no ar, quando vocês jogam futebol ou brincam de pega pega também há contato e também conta como toque físico e tempo de qualidade (depois falamos dessa linguagem).

Mas você sabia que estudos mostram que muitos pais só tocam seus filhos quando trocam de roupa, dão banho ou quando levam seus filhos para a cama? Na verdade, eles não sabem da importância que o toque físico tem para uma criança, aliás, é uma das maneiras mais fáceis de manter o tanque emocional da criança abastecido e provido de amor.

Gary Chapman destaque que o toque físico é uma das vozes mais fortes de amor, é como se ela gritasse: “Eu amo você!”. Tanto os meninos quanto as meninas precisam de demonstrações físicas de afeto, e é fato que quanto mais os pais mantiverem abastecido o tanque emocional de seus filhos, mais saudável será a autoestima e a identidade sexual das crianças.

 

Palavras de afirmação

As palavras são poderosos meios de expressão do amor. Palavras de afeto e carinho, palavras de elogios e encorajamento, palavras positivas de orientação, todas comunicam a mesma coisa: “Eu me importo com você!”. Elas se assemelham a uma chuva morna e suave irrigando a alma, pois nutrem o senso de valor e segurança no íntimo do seu filho. Mesmo que sejam ditas rapidamente, não são esquecidas com facilidade. A criança recebe os benefícios das palavras de afirmação durante a vida inteira.

Por outro lado, as palavras que ferem, proferidas em um momento de frustração, podem prejudicar a autoestima da criança e lançar dúvidas sobre sua capacidade. As crianças pensam que acreditamos piamente em tudo que dizemos. O antigo provérbio hebraico não exagera: “A língua tem o poder de trazer morte ou vida” – Provérbios 18:21 (p.39).

No Gary Chapman diz que é essencial que os pais e outros adultos importantes na vida da criança se desculpem sem demora por observações críticas, negativas ou severas. Embora as palavras não possam ser apagadas um pedido de desculpas farão que os efeitos sejam minimizados, segundo ele. É importante perceber se não existe um padrão de comportamento negativo por parte de um dos cônjuges e para mudar isso, é preciso pedir ajuda do parceiro. O autor afirma que a comunicação positiva é muito importante para todo relacionamento bem-sucedido entre pai e filho e com certeza não devemos medir esforços para melhorar nosso comportamento. (p. 51)

 

Tempo de Qualidade

Mesmo que a principal linguagem do amor de seu filho não seja tempo de qualidade, muitas crianças anseiam pela atenção exclusiva dos pais. A verdade é que muitos comportamentos inadequados das crianças são para chamar a atenção dos pais, até mesmo uma atenção negativa (discussão ou briga) parece ser melhor do que nenhuma atenção.

Quando os filhos são bebês costumam receber mais facilmente esse tipo de atenção, isso porque eles precisam se alimentar e ter a fralda limpa, mas à medida que as crianças crescem, vem a independência e para os pais é um grande trabalho desprender algumas horas por semana para dar atenção exclusiva, mal e mal damos conta dos afazeres. Mãe então nem se fala, sempre tendo que dar um ajeitada na casa para pelo menos ficar habitável.

Os momentos que dedicamos de forma única e exclusiva para cada filho, estamos escrevendo em letras garrafais “Eu gosto de estar com você”… o suficiente para parar todas as outras coisas e ficar com você, te ouvindo, brincando, ouvindo música, seja lá o programa que vocês gostem de fazer juntos. É a maneira dela se sentir verdadeiramente amada pelo seu pai ou sua mãe.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Para as crianças que anseiam por um tempo junto com seus pais, e para todas as outras também, a atenção exclusiva do pai ou da mãe é um presente e um elemento essencial para que tenham a certeza de que são amadas. Quando você passa tempo com seus filhos, está criando lembranças para a vida inteira. Você deseja que seus filhos sejam abençoados com as lembranças dos anos que viveram em sua casa. Eles terão lembranças saudáveis e motivadoras quando seus tanques emocionais estiverem abastecidos.”  (p.64)

 

Presentes

O ato de dar e receber presentes pode ser uma forte expressão amorosa, não apenas no momento, mas por muitos anos. Os presentes mais significativos tornam-se símbolos de amor, e aqueles que transmitem esse sentimento de forma mais sincera fazem parte da linguagem do amor. Para que os pais falem a quarta linguagem do amor, a criança precisa sentir que é realmente importante para eles, e por isso que é importante que os pais transmitam amor através das outras linguagens de amor também: tempo de qualidade, palavras de afirmação, toque físico e atos de serviço.

Mas um cuidado é necessário ser tomado, não adianta encher o filho com vários presentes a fim de substituir as outras linguagens de amor. Esse tipo de substituição pode acarretar consequências graves tanto para o caráter da criança quanto para sua integridade.

 

Atos de serviço

Gosto quando o autor do livro fala que criar filhos é uma “vocação voltada para o serviço, a verdade é que quando descobrimos que seremos mães estamos admitindo que sempre estaremos em função de uma pessoa, um trabalho em tempo integral, sete dias na semana, 24h por dias.

Você deve fazer pelos seus filhos o que eles não conseguem realizar sozinho. É claro que você não dará comida na boca do seu filho de 6 anos. Arrumar a cama para crianças de 4 anos é um ato de serviço, mas as de 8 anos são capazes de fazer essa tarefa. Os filhos não precisam esperar entrar na faculdade para aprender a utilizar uma máquina de lavar roupas. Os pais ocupados demais para ensinar seus filhos a lavar a roupa ou perfeccionistas demais para deixá-los fazer essa tarefa sozinhos não estão amando os filhos, estão incapacitando-os. (p.86)

A verdade é que os atos de serviço têm fases intermediárias, servimos nossos filhos, quando estiverem prontos, podemos ensiná-los a fazer sozinhos e depois estarão aptos para ensinar outros. Afinal de contas, o mais importante e, acredito que o nosso desejo como pais, é que eles desenvolvam as próprias habilidades.

 

Uma inspiração a seguir

As crianças precisam receber o amor dessas cinco formas para crescerem saudáveis emocionalmente. Algumas das linguagens do amor são mais fáceis demonstrar que outras, isso depende muito da sua criação. Mas o bacana que no fim de cada capítulo o autor dá algumas dicas de como você pode colocar em prática aquela linguagem do amor.

Quando você começa a ler o livro, não tem como não ficar curiosa  para descobrir qual a principal linguagem do amor dos filhos. Criei coragem e perguntei para o meu filho “Quando que você sente que a mamãe te ama?” Ele rapidamente me respondeu: “Quando você faz cócegas, me abraça ou me beija”. Descobri que a principal linguagem do amor dele é o toque físico. Mas a Catarina, com quase 4 anos, ainda é muito novinha para descobrir a principal linguagem dela, o próprio autor fala que até os 5 ou 6 anos precisamos demonstrar todas as linguagens do amor para que as crianças tenham seus tanques emocionais abastecidos.

Para minha maternidade, descobrir esse livro foi realmente incrível e transformador. Tenho certeza absoluta que amo meus filhos, mas percebi que às vezes podemos não demonstrar o amor da maneira que os filhos entendem – Ao longo dos capítulos é contada várias histórias reais de pais e filhos que sentiam a afirmação do amor dos pais ou de pais que aprenderam como realmente amar seus filhos. É lindo!

Hoje sei que para que meu filho tenha autoconfiança, autoestima e segurança quando for adulto precisamos abastecer o tanque emocional dele com todas as linguagens do amor, mas principalmente o toque físico. De verdade, acredito que esse livro é revolucionário para a educação dos filhos, se todos os pais pudesse dedicar 5 minutos de leitura com esse livro, o mundo será muito melhor e com muito mais amor.

A ira, a raiva, a gritaria só tornará as relações de pais e filhos desgastadas. O amor é arrebatador capaz de descongelar até o coração mais frio e é de amor incondicional que os nossos filhos estão carentes.

Claro que um livro não faz milagres, mas me mostrou aspectos diferentes sobre a maternidade e só posso dizer que é uma excelente leitura porque estava aberta e disposta a aprender seus ensinamentos. Meu coração recebeu suas palavras, me emocionei muito com as histórias relatadas de pais e filhos, e principalmente, desejou aprender mais sobre o amor e sobre a mãe que quer ser… Sim! Porque vivo uma história em construção, ou seja, vou praticando, crescendo, caindo e me reerguendo para ser aquela mãe que um dia sonhei em ser!

 

Você já leu esse livro? Ficou com vontade? Conte para mim nos comentários: Já suspeita qual é a linguagem do amor do seu filho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top