Ansiedade de separação – Dois corações que doem

Se você tem dúvidas de que você é uma pessoa super-importante, tente se afastar de sua criança quando ela aparece entretida brincando. O que parecia ser uma criança despreocupada imediatamente se transformara em uma criança intensa e cheia de ansiedade de separação, totalmente dependente de você por segurança, companheirismo e um propósito geral na vida.

Honestamente, isso geralmente é bom, especialmente se você está assombrada por questões existenciais. Ter uma pessoa que adora você e que desmorona completamente na possibilidade de ficar sozinho enquanto você vai ao banheiro – bem, isso é bom. Você se sente especial.

Claro, também há algumas desvantagens. Talvez você os tenha encontrado:

 

1. É inconveniente e – ouso dizer – irritante.

Sim, usar essas palavras para descrever a situação pode soar um pouco horrível. Mas na verdade, como você caracterizaria os gritos estéreis que acompanham sua tentativa de se mover 10 metros de distância de seu filho?

 

2. Provoca culpa.

Pode ser trabalhoso deixar seu filho na escolinha por três ou quatro horas, e incrivelmente você vai conseguir ir ao banheiro sem ter uma mini companhia. Mas, eventualmente, quando você se afastar de seu filho, ele vai ficar maluco; e você vai se sentir mal. É claro que a maternidade é uma questão de culpa, e, claro, você vai cometer alguns erros horríveis e talvez até mesmo seu filho faça terapia quando crescer. Um fato é que você não precisa se sentir culpada por finalmente ir ao banheiro e evitar mais uma infecção urinária ou trabalhar meio período.

 

3. A ansiedade de separação dói no seu filho.

Não para minimizar seu inconveniente e culpa – isso não é nada legal, eu sei! Mas o pânico do que seu filho está perdendo é um pouco pior. Imagine que você está mergulhando e seu tanque de oxigênio está se afastando de você. Parece que você vai ficar sem ar, é assim que ele se sente, mas você vai voltar para ele e ficará tudo bem!

Então, sim, a ansiedade de separação é bastante difícil. Mas, também é uma parte normal e do desenvolvimento do seu filho. Então ela merece sua atenção, enquanto vocês passam por isso. O consolo e a atenção, no entanto, não é o mesmo que incentivo. O objetivo final é mostrar ao seu filho que ele está segura sem você e não estabelecer uma dinâmica onde seu filho tem o controle todos os seus movimentos.

As mulheres não costumam falar muito sobre isso e eu sei que é dolorido se afastar de nossos filhos. Eu mesma demorei mais tempo para me adaptar a separação com que a minha filha. Eu sei que tantos os filhos como algumas mães poderiam sobreviver felizes agarradas uns nos outros, eu sei disso.

Mas a realidade de muitas mães não é essa.

Um pequeno percentual das mulheres conseguem ficar em casa com seus filhos e terem uma vida financeira estável sustentada pelos seus maridos. Mas estamos falando de um país onde 11,6 milhões mulheres não tem conjuges e criam seus filhos sozinhas.

Sim, o apego do seu filho é de vital importância, mas esse apego não vai se desfazer se seu filho ficar sob a supervisão de uma instituição escolhida com todo cuidado que ele merece ou cuidadora. E tão importante como o apego é bom que ele aprenda outras coisas importantes também: como aprender a confiar que as pessoas podem sair e voltar e há mais de uma pessoa que pode mantê-lo seguro.

Você pode transmitir a lição de que as pessoas se afastam e voltar de muitas maneiras, como brincar de “Cadê – Achou”, histórias sobre separação e reunificação, e frases como “Mamãe sempre volta!”

Tudo isso, no entanto, é apenas um início.

A ação real vem quando é hora de dizer adeus ao seu filho gritando. Estou assumindo que você selecionou criteriosamente quem ficará com seu filho. Mas essas dicas também ajudarão:

 

Como enfrentar a ansiedade de separação:

ansiedade de separação dos filhos

1. Não espere até que o seu filho esteja envolvido tranquilamente com a babá, para então se escapar.

Embora isso possa lhe salvar uma separação desagradável, é realmente uma jogada brusca.

 

2. Não diga ao seu filho, adeus, então recupere-se para confortá-la quando ela chorar.

Isso só vai deixar seu filho confuso, você vai se atrasar e também vai irritar a babá. #efeitocascata

 

3. Coloque seu melhor sorriso no rosto.

Sim, você também está sofrendo com a ansiedade de separação, mas não deixe seu filho saber. Ela não entenderá que sua ansiedade decorre do amor, culpa e frustração. Ele assumirá que você compartilha da mesma sensação “de perder à vista um do outro”.

4. Então, quando é hora de ir, basta ir.

Bem, ele ainda é muito pequeno para entender que você pode avisar ele que está saindo, antes efetivamente de sair. A melhor hora para dizer “tchau” é quando você está saindo de fato. Dê um abraços bem amoroso e confiante, diga que ele vai ficar bem e que depois você volta para brincar com ele e depois vá. Vire as costas e acredite que você deixou seu filho em segurança. Ouvir-se dizer que isso irá lembrá-la também e será mais fácil enfrentar a ansiedade de separação.

 

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *