skip to Main Content
3 Maneiras De Ensinar A Criança Pequena Demonstrar Seus Sentimentos

3 maneiras de ensinar a criança pequena demonstrar seus sentimentos

Crianças estão aprendendo a se comunicar, não apenas em palavras, mas também em gestos e sentimentos. Ao interagir com outras crianças é bem comum que elas queiram justamente aquele brinquedo que o amigo tenha na mão. Arrancá-lo é algo natural. Mas como fazer para incentivar a criança pequena sem podá-la?

Não parece uma tarefa tão simples, não é mesmo?

Você vai precisar de uma boa dose de paciência e jogo de cintura, mas essas dicas vão ajudá-la a incentivar a criança pequena e ao mesmo tempo fazer com que ela tenha empatia com as outras crianças.

Ensine-o a utilizar as palavras

As crianças, muitas vezes não sabem se expressar suas emoções através da fala. Por isso, é uma boa razão para que nós, mães e pais,  venhamos a expressar o que estamos sentindo com palavras, para que os nossos filhos aprendam a “definir” seus sentimentos. Por exemplo, “quando seu irmãozinho bebê) chorar da próxima vez, pergunte ao irmão mais velho se ele sabe porque ele está chorando. Ou então na próxima briguinha de irmãos, em que um tirou o brinquedo do outro e aquele ficou inconsolável, pergunte para o outro porque será que o outro irmão ficou triste – “Você acha que seu irmão está triste porque você pegou o brinquedo?”

 

Essas trocas ajudaram a reforçar a crescente consciência das crianças sobre os sentimentos dos outros e ensinar-lhes a utilizar as palavras para falar sobre eles.

A criança pequena adora os holofotes, então sinta-se livre para fazer do seu filho o centro de sua própria lição. Retire um álbum de fotos e aponte para imagens dele parecendo emocionado, calmo ou irritadiço.

Em seguida, incentive-lo a rotular o sentimento e falar sobre o que causou isso. Você pode dizer: “Você ficou tão feliz quando todos cantavam ‘Parabéns para você’”.

Melhor ainda, descreva exemplos nos quais ele tem sido gentil ou útil para os outros. As crianças gostam de olhar para as pequenas coisas que disseram ou fizeram. Então contar essas histórias é uma forma como os pais podem conscientizar as crianças de como suas ações afetam as pessoas.

 

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Mostre o caminho para a criança pequena

Observar você interagir com outras pessoas é uma das maneiras mais poderosas em que seu filho desenvolver empatia. Use oportunidades para mostrar sensibilidade: pergunte ao seu esposo como foi o dia,, segure a porta para uma pessoa idosa ou ajude uma criança que caiu enquanto estava. Quando você demonstrar empatia, você mostra a sua criança como fazer isso também. As possibilidades são inúmeras e seu filho poderá seguir seu exemplo.

Quando a criança pequena vê você consolando alguém, ela aprende seu tom de voz e linguagem corporal, os especialistas chamam isso de “motherese”. Na próxima vez que acontecer isso, ela tentará ajudar da mesma maneira.

 

Ensine na prática

Se você pensa sobre isso, na primeira infância é quando seu filho e os seus desejos não se alinham aos desejos da mãe. Isso não acontecia antes. Quando ele era um bebê, se ele queria comer, você queria alimentá-lo. Agora, se ele quiser comer – mas apenas uma grande tigela de sorvete – você vai não deixá-lo. “Ele está pensando” não entendi isso. O que está acontecendo aqui? “

Expandir a sua percepção de que os sentimentos dos outros podem não ser iguais aos seus, incentivando a interação com muitos tipos de pessoas. Isso lhe ensinará que as pessoas pensam e sentem diferente, começando com coisas básicas, como:” Minha mãe gosta de brócolis, mas minha babá não “.

À medida que a criança pequena amadurece, você pode apresentá-lo a mais formas práticas de reconhecer e atender às necessidades dos outros. Deixá-lo ajudar a cuidar de um animal de estimação da família – despejando sua comida em uma tigela ou escovando sua pele – lhe dará uma oportunidade diária de pensar além de si mesmo.

Se você notar uma criança chorando em seu grupo de brincadeiras, aponte que algo está errado e diga: “Vamos dar um brinquedo”. Talvez o gesto acalme a outra criança; talvez não seja isso que ela quer, mas vale a pena tentar!

De qualquer forma, seu filho terá uma prática valiosa ao aprender a responder aos sentimentos de outra criança pequena e por consequência de um adulto.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top