Amamentar é a forma mais natural e primitiva que existe de uma mãe alimentar seu filho. Saudável para ambos, sistema de defesa da mãe passa de forma adequada para o bebê, aumenta o elo entre mãe e filho, economicamente indicado (se formos pensar em crise), refeição simples, rápida e pronta em qualquer ambiente que seja necessário alimentar o bebê. São tantos benefícios que chega a ser incansável calcular todos eles.

Lendo uma matéria fiquei pasma: “O Brasil é o país onde as mulheres são mais criticadas por amamentar em público” Fonte: MdeMulher. Talvez não pareça absurdo quando ligar a TV e ver que a mulher está sendo vendida como objeto sexual, infelizmente, isso é uma realidade do nosso país. As mulheres da pesquisa também relatam que se sentiriam mais influenciadas a amamentar seus filhos se as famosas realizassem campanhas com esse objetivo. Oi? Ia perguntar em que mundo nós vivemos, mas lembrei que moro no Brasil e que a mídia ainda detém e forma a opinião pública de forma massiva e não instrutiva.

Amamentar é um ato que exige sacrifício e dedicação. Sacrifício, sim! Muitas vezes poderíamos pensar fazer tantas outras coisas, mas estamos dedicando tempo, amor e alimento para aquele ser que em média carregamos por 40 semanas dentro de nós e ansiávamos por conhecê-lo, claro que nisso tudo inclui muita dedicação. Conheço pessoas que ficaram frustradas por não conseguirem amamentar o primeiro filho e foram abençoadas no segundo. Conheço outras que em nenhum momento puderam experimentar o que é poder ser a única fonte de alimento do seu filho. Também conheço pessoas que conseguiram amamentar por 1 mês e também por dois anos. Apesar do sacrifício, da dor e das barreiras auto impostas ou colocadas pela sociedade, amamentar é um gesto de amor e essencial para essa nova vida que veio ao mundo.

Eu gostaria de incentivar as futuras mamães a tentarem verdadeiramente amamentar seus filhos. Se surgir qualquer dúvida, meu conselho é que procure o banco de leite mais perto da sua cidade, eles são extremamente acolhedores, respeitosos e cheios de informações.

Quanto a polêmica de amamentar em público, bom, eu nunca me senti tão à vontade de fazer isso publicamente, mas confesso que muitas vezes foi necessário. O bebê está com fome, você tem o alimento, o local é aquele que você está e fazer o quê? Sair correndo? Deixar o bebê chorando de fome? Ou sentar, alimentar o bebê e depois continuar fazendo o que você estava antes dessa pequena interrupção? Óbvio e inquestionável que você vai dedicar atenção ao seu filho e para felicidade da nação fazer ele parar de chorar. Não vejo porque tanta polêmica!

 

Eu acho simples de resolver, mas e aí, você já sofreu algum tipo de preconceito por amamentar seu filho de forma pública?

 

 

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Comente

Confira também