skip to Main Content
Profissional E Mãe: Como Equilibrar Essas áreas Da Vida?

Profissional e Mãe: Como equilibrar essas áreas da vida?

A condição da mulher no mercado de trabalho a partir da década de 1960 teve uma virada. Invariavelmente, a busca por equivalência de carreira profissional com os homens fez com que as mulheres prorrogassem seus sonhos de maternidade e constituição de família com relacionamento duradouro.

Em grande maioria, o medo de não dar conta ou de frustrar uma realização profissional torna as mulheres verdadeiras combatentes incansáveis na tentativa de ser a Super Mulher, aquela que consegue tudo e com um belo sorriso no rosto e uma aparência impecável. Dentro dessa prisão, que as próprias mulheres criaram, vivem pessoas em conflitos constantes com seus medos, vontades, fantasias e duras realidades.

Flexibilidade é a chave para equilibrar a vida de mãe e profissional

Ser flexível é requisito fundamental para as mulheres que querem ser boas mães e ótimas profissionais. Sim, ser flexível com você mesma, permitir-se descansar, não querer, não gostar, simplesmente, não opinar, apenas contemplar sem cobranças. Flexibilize a sua vida, seja boa com você mesma.

Percebe-se que, com o nascimento do primeiro filho, inicia-se um renascer para a mulher, ou seja, uma reorganização em todos os setores da vida. Algumas mulheres optam por continuar com trabalhos formais, outras escolhem trabalhos informais para adequar os horários e ainda há quem literalmente para a vida profissional para viver o momento mãe.

Pois, partindo do princípio de que você fez o que desejava fazer, filhos e trabalho são compatíveis. Várias pesquisas indicam que, desde que a figura materna e paterna seja presente e marcante na vida da criança, não existem grandes perdas ou problemas.

Vale lembrar que a mulher que trabalha fora tende a se sentir um tanto culpada por não estar o tempo todo em casa e quase como uma obrigação costuma ceder aos caprichos e manhas que todas as crianças fazem. Impor limites ao filho ou querer um tempo só para você, “sem filho”, também faz parte de uma relação saudável.

O que vale mesmo é a qualidade do que se vive junto, seja um dia inteiro ou meia hora. Não se culpe por não dedicar mais tempo aos seus filhos ou família, pois se você conseguir dar qualidade, a quantidade é o que menos afeta sua relação. A culpa pode ser cruel e na verdade só vai te fazer mal. 

Ao invés de se culpar, procure organizar seu tempo para que quando você chegar em casa possa desfrutar da presença dos seus filhos. Organize um tempo livre para você e suas amigas e tire um momento para cuidar do seu relacionamento também. O equilíbrio é a chave para uma vida feliz e plenamente realizada em todas as áreas da sua vida.

 

Kelly de Moraes é palestrante, coach e especialista em Alta Performance Humana e Terapeuta EMDR, head trainer comportamental e CEO na Skale Desenvolvimento Humano, que atua há 15 anos. Ela também é diretora de Capacitações da Mulher Empresária de SC, membro do Conselho Estadual da Mulher Empresária de SC e vice-coordenadora do Núcleo da Mulher Empreendedora de Jaraguá do Sul.

Mãe do Cauê e da Catarina, esposa do Diogo Petermann. Casada há 11 anos. Apaixonada por brigadeiro de panela, pipoca e Grey’s Anatomy!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top