skip to Main Content
Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

Infecção Urinária é mais comum entre as mulheres

Infecção Urinária é Mais Comum Entre As Mulheres

Ardência ou dor ao urinar são alguns dos sintomas da ITU (Infecção do Trato Urinário) ou como é mais conhecida: infecção urinária. O problema pode começar na infância ou só se manifestar na vida adulta, tanto no sexo masculino quanto feminino. Mas o fato é: incomoda e atrapalha a vida de qualquer um.

O urologista Raphael Lahr ressalta que, ao longo do primeiro ano de vida, o problema é mais comum nos meninos e, quando ocorre, precisa ser pesquisado para afastar alterações anatômicas. “A investigação se dá pela ecografia do aparelho urinário, uretrocistografia miccional e, dependendo o caso, cintilografia renal”, comenta.

Depois do primeiro ano, as meninas estão mais propensas a contrair a doença. A incidência de infecção urinária nas mulheres é de 80% a 90%, afetando, principalmente, àquelas em idade reprodutiva ou no período da menopausa. O motivo: queda de estrogênio e alterações no tipo e quantidade de micro-organismos que protegem a vagina.

O especialista explica que, entre os fatores de risco para ITU, encontram-se situações anatômicos, baixa ingestão de líquidos, pedras nos rins e constipação intestinal. Além disso, segurar a urina por muito tempo também pode levar à doença.

Os sintomas da infecção urinária

Os principais sintomas da ITU são ardência ao urinar e ida frequente ao banheiro com pequeno volume urinado. Causada por bactérias que contaminam a uretra, a evolução da doença pode atingir a bexiga, causando cistite ou, nos casos mais graves, infecção no trato urinário. Quando chega aos rins, é comum provocar dor lombar associada à febre.

Receba dicas e conteúdos sobre gravidez, maternidade e criação de filhos. Compartilhando aprendemos mais

A principal causa da dor ao urinar é a infecção urinária. No entanto, o urologista salienta que outras doenças podem ser a razão do desconforto. Entre elas, as sexualmente transmissíveis, principalmente, gonorreia e clamídia, alterações vaginais, como a candidíase, e corantes ingeridos na alimentação.

Como fazer a prevenção?

Para prevenir o incômodo, cabe ao paciente adotar hábitos saudáveis.  “A melhor forma de evitar as infecções urinárias é a hidratação. Além disso, vale evitar segurar o xixi por muito tempo e cuidados alimentares para evitar a constipação intestinal”, alerta o médico.

Mulheres sexualmente ativas podem, ainda, aderir a práticas que auxiliam na prevenção. Urinar após relações sexuais, diluindo a urina e esvaziando a bexiga, manter a higienização depois de fazer xixi para evitar o acúmulo de bactérias e utilizar preservativo durante o ato sexual são algumas delas.

A ocorrência de infecção urinária masculina é bem menos significativa do que a feminina e a maior parte das infecções são ocasionadas por fator de risco como a pouca ingestão de água ou a prisão de ventre. No caso de homens com hiperplasia benigna da próstata, a redução da ingestão de cafeína, de álcool e determinados medicamentos pode ajudar a melhorar o fluxo de urina e a prevenir a retenção de xixi na bexiga, diminuindo, assim, a probabilidade de contrair a doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top