Vida de mãe é recheada de primeiros. Primeiro sorriso, primeira consulta, primeiros passos, primeiro dia na escolinha, primeiro cinema, etc. Esse ano cheguei com muita expectativa na primeira reunião da escola. Afinal de contas, o Cauê iniciou o segundo ano do Ensino Fundamental. Parece uma coisa simples, eu sei. Mas esse ano é quando realmente a coisa “pega”. As mudanças começaram a acontecer no ano passado, mas foram pequenas. Esse ano além do lanche não ser mais acompanhado pela professora, não ter mais sala de espera, vem o temido “boletim”, ou seja, ele começará a fazer avaliação escolar.

A primeira reunião

Na primeira reunião a professora, muito querida, explicou tudo como seria esse ano. As diferenças das quais falei anteriormente e como seria o sistema de avaliação. Deu um frio na barriga só de pensar que eles iriam ter avaliação de acordo com a disciplina: português, alemão, inglês, matemática, educação física, ensino religioso, informática… acho que são esses.

Ela explicou que circularia durante a avaliação e que eles poderiam perguntar se tivessem dúvidas. Chegou até a afirmar que sairiam do segundo ano apaixonados por fazer avaliação. Nesse momento eu choquei, né!? Mas pensei, vamos torcer para que realmente seja assim. Até porque ele não tem a “carga de conhecimento” que nós já temos.

avaliação escolar

A primeira avaliação escolar

Não veio nenhum aviso na agenda, contudo, chegou um menino feliz da vida com a nota da sua primeira avaliação. O seu primeiro 10!!

Imagina se eu não fiquei orgulhosa do resultado da avaliação? Mas claro que sim. Conversamos com ele, explicamos que nós atribuímos essa nota a disciplina de estudar todos os dias após o almoço.

Na verdade, essa rotina é boa para ele, pois fixa o conteúdo, que ainda está com ele fresquinho na memória. Não vou dizer que todo dia ele é empolgado para fazer as tarefas. Entretanto, ele já tem consciência de que para brincar, primeiro o dever precisa estar cumprido.

As minhas expectativas foram superadas, até porque outro dia ele chegou empolgado contando que tinha feito outra avaliação e que a professora ainda não tinha corrigido. Perguntei como ele achava que tinha se saído, falou que bem, todo confiante.

Passo a pensar que talvez a professora tenha razão e que eles podem a ficar com boa impressão sobre as avaliações, sem frio na barriga. Espero que sim. Espero que no fim do ano também esteja animado com o seu primeiro boletim. Não espero que seja sempre o aluno nota 10, até porque não representa que ele sempre vai ser 10 em tudo. Mas que ganhar 10 é bom, ah … isso é!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também