Acho que o ser humano é mesmo como o Raul cantava: “…Metamorfose ambulante…”! Somos mesmo muita vezes não querendo ser. Somos modificados perante as circunstâncias da vida. Crescemos, mudamos, choramos, somos desafiados todos os dias…

Em dois anos passei da fase de só cuidar do pequeno para trabalhar 14h por dia – não foi pra mim! Fiquei em casa alguns meses… não aguentei,  arranjei um trabalho em que o ambiente era ótimo, chefe perfeito, mas a carga horária não! Não deu! Depois arranjei uma carga horária razoável, mas o ambiente/chefe não era lá aquelas coisas. #fail.

Desisti e fui começar a minha carreira de professora, já que curso pedagogia… Vamos lá! Sem contar o estresse todo, pois já estava com sintomas psicossomáticos, o meu filho passa a ter crises de dor de ouvido e por aconselhamento médico, deixei de trabalhar novamente… Eita!

Arranjei um trabalho que posso fazer algumas horas na semana enquanto a avó fica com o pequeno e se eu tirar o mesmo que tirava no último trabalho estou no lucro! Até porque o pequeno terá os cuidados necessários e eu não vou trabalhar à ponto de me estressar tanto!

Então… Simbora pra essa nova fase, borboleta!!! hehehe

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também