Os dias, as semanas, os meses estão passando muito depressa. Até poucos dias era Natal e agora falta menos de 10 dias para começarem as aulas novamente. Caramba!

E consequentemente, cada vez mais as crianças tem passado mais tempo nas instituições de ensino do que em casa com seus pais, assim tem sido a vida moderna.

Por isso, quando vamos escolher a escola da criança temos que analisar os valores que estão estabelecidos no Plano Pedagógico da instituição, para que a educação oferecida seja uma continuação dos valores do lar. Não basta apenas matricular o filho, levar e buscar. É importante participar ativamente das atividades realizadas pela escola, conhecer os colegas de classe dos filhos, assim como os pais também, ir às reuniões e acompanhar os estudos.

Estabelecer uma rotina de estudo é crucial para eles pois irá facilitar que ele absorva o conteúdo e fixe o conteúdo aprendido.

Atividades Extracurriculares

As crianças estão em fase de aprendizado e de explorar o meio e as suas próprias habilidades. Há uma grande probabilidade de que ele queira fazer muitas atividades e é preciso cuidar para não sobrecarregar, ainda mais em fase de alfabetização que eles precisam muito mais de concentração, disciplina e coordenação motora por causa da escrita.

Não coloque seu filho em um pedestal, atribuindo que ele é o melhor. Roberto Schinyashiki diz que “querer ser o melhor é fonte de uma angústia sem fim. O indivíduo até pode conseguir, mas logo vai se sentir ameaçado por outro, que também se programou para ser o melhor”. O escritor ainda aconselha que a melhor maneira de enfrentar esse caos da sociedade é se concentrar em seu ser e não ficar vivendo (ou ensinar a viver) preocupado com o que os outros estão conseguindo.

Resumindo, as crianças tem suas próprias maneiras de processar o aprendizado. Para algumas é preciso disciplina e acompanhamento dos pais, outras, como brincar de faz de contas com os bonecos é fundamental para o desenvolvimento psicológico e o excesso de atividades pode tirar esse espaço que a criança teria para se auto explorar e conhecer e adquirir sua evolução interior.

 

 

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂