trabalho-de-parto-1

 

Recentemente baixei no celular um aplicativo sobre gravidez. Até brinquei na Fanpage do Blog que o que mais assusta nele é a contagem regressiva! Faltam 61 dias…

 

O tema para ler hoje era justamente sobre o parto cesárea. Confesso que sei pouquíssimo sobre esse assunto, o fato de pensar em ler sobre isso me deixa arrepiada. Eu não gosto de pensar na hipótese de ter que enfrentar uma cesárea.

 

Cada um com os seus cada uns… Uns tem medo de sapo, de barata, de lagartixa, borboleta, de parto normal e eu tenho de cesárea.

 

Na primeira gravidez, li e reli vários e vários artigos sobre parto normal. Idealizei, sonhei, planejei o grande momento, que na verdade seria quando ele escolhesse nascer. Hoje minha única preocupação é que ela se mantenha de cabeça para baixo.

 

Falar sobre parto é fácil. A partir do momento que você anuncia que está grávida as pessoas já começam a perguntar para você. Particularmente, quando falo que quero muito parto normal, elas ficam meio receosas e com medo por mim. Não vou falar que não dá medo, dá. Mas é um medo não da dor, mas talvez do conhecimento que já tenho. Sei lá… Saber os processos do parto fez eu encarar muito bem o primeiro, desejo que esse seja da mesma forma. Não foi fácil. Teve momentos que eu pensei que não iria conseguir, porém, consegui! Sobrevivi e cá estou prestes a encarar o segundo.

 

Certa vez eu assistindo um seriado, o homem falou que o ser humano é o ser mais esquecido do planeta, caso contrário não teriam mais filhos. É verdade!!! Eles são a razão de existir, o motivo pelo qual nos derretemos e sorrimos e tantas outras coisas… Mas ainda bem que também somos esquecidos. A verdade é que a dor do parto normal existe (principalmente se você encara um sem anestesia) e acredito que seja ela que nos dê força na hora da expulsão. Melhor de tudo é que depois que nasce, pode repetir a dose, sem problemas. A dor maior já passou… 🙂

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também