Acredito que uma das lembranças mais marcantes da nossa vida é quando aprendemos a andar de bicicletas sem rodinhas. Uma alegria misturada com aquele frio na barriga na possibilidade de cair um tombo, tentado se equilibrar. Depois que aprende a andar de bicicleta também nunca mais esquece.

Por volta dos 5 para os 6 anos tentamos incentivar várias e várias vezes o Cauê a tirar as rodinhas e aprender a andar de bike sem o auxílio delas. Mas o medo de cair era maior, queria sempre a gente segurando na parte de trás do assento. Abandonou a bicicleta antes mesmo de nos mudarmos para o apartamento.

Essa semana levamos a bicicleta para a casa da vó, tarefa para ele e para o dindo, encher os pneus e limpar. Não deu outra! Depois de poucos auxílios para equilibrar e dar o start na pedalada aprendeu e se libertou do apoio das rodinhas.

A coragem bateu e como se fosse um passe de mágica perdeu todo medo. Começou a descer um pequeno morro que tem na rua sem saída da casa da minha sogra, descia e entrava portão a dentro. Ganhou um joelho ralado com um sorriso no rosto.

Tablet? TV? Oi? Até esqueceu que isso existe, passou a tarde treinando e se divertindo! Como é bom ser criança!!!

Mãe do Cauê e da Catarina 🙂





Confira também